Renault apresenta o novo Koleos

Da Redação*

ESSAIS PRESSE RENAULT KOLEOS (HZG)

O novo Koleos foi revelado no último Salão do Automóvel de Pequim, mostrando a visão do topo de linha da Renault nos mercados onde os SUVs estão em alta. O Koleos tem linhas externas musculosas e elegantes, tecnologia AWD, capacidades 4×4, distância do solo de 210 mm e ângulos de ataque e saída de 19 e 26 graus, respectivamente .

A distância entre eixos é de 2,71 metros e o comprimento total é de 4,67 metros. Em largura, ele mede 1,84 metros e, o porta-malas, tem capacidade para cerca de 600 litros.O Koleos é um carro mundial e será vendido em alguns países latino-americanos, asiáticos, do Oriente Médio e na Turquia. O Brasil está incluído. Em comparação com um sedã tradicional, a posição de dirigir é 150 mm mais alta.

ESSAIS PRESSE RENAULT KOLEOS (HZG)

As motorizações e os sistemas de transmissão do Renault Koleos foram especialmente desenvolvidos para atender às necessidades e expectativas dos mercados onde o modelo será comercializado. Com duas opções a gasolina e duas a diesel, conforme o país, as motorizações entregam uma potência de 130 a 175 cv, associadas a um câmbio manual de 6 velocidades ou à transmissão automática X-Tronic.

RENAULT KOLEOS II (HZG) - PHASE 1Os motores à gasolina são um 2.0 (145 cv) e um 2.5 (170 cv). As motorizações que utilizam diesel são 1.6 turbo, de 130 cv, e 2.0 turbo, de 175 cv.

A tração AWD oferece as seguintes opções: 2WD: funcionamento com tração em 2 rodas, independentemente das condições; 4WD AUTO: o sistema monitora permanentemente as condições de rodagem e os níveis de aderência, utilizando as informações fornecidas por sensores para calcular a melhor distribuição do torque entre a dianteira e a traseira. Até 50% do torque disponível pode ser transmitido às rodas traseiras, se necessário; 4WD LOCK: Para dirigir em condições off-road ou melhorar as condições de aderência, como na neve, lama, areia ou estrada de terra, permitindo que o motorista se mantenha permanentemente no modo 4×4 em velocidade inferior a 40 km/h, com uma distribuição equilibrada do torque entre a frente e a traseira (50/50).

Este modo é automaticamente desativado quando o veículo atinge velocidades superiores a 40 km/h, ou quando o motor é religado.

ESSAIS PRESSE RENAULT KOLEOS (HZG)

ESSAIS PRESSE RENAULT KOLEOS (HZG)
Fotos: Divulgação / Renault / Anthony Bernier

*Com informações da Renault do Brasil

Chevrolet Onix é o veículo leve, 0 km, mais financiado do 1º semestre

Da Redação*

GEDSC DIGITAL CAMERA
Foto: José Oswaldo Costa

No primeiro semestre do ano, o Onix, da Chevrolet, foi líder no ranking de automóveis leves novos mais financiados, com 42.711 unidades vendidas a crédito. Em segundo lugar aparece o HB20, da Hyundai, com 31.770 financiamentos, seguido do Ka, da Ford, com 23.407 unidades, e do Prisma, também da Chevrolet, com 20.914. O Gol, da Volkswagen, encerrou a lista dos cinco mais financiados nos seis primeiros meses do ano, com 19.407 autos leves vendidos a crédito.

O levantamento é da Unidade de Financiamentos da Cetip, que opera o maior banco de dados privado de informações sobre financiamentos de veículos do país, o Sistema Nacional de Gravames (SNG). Os números contemplam os veículos comercializados por crédito direto ao consumidor (CDC), leasing e consórcio.

Nos seis primeiros meses do ano, o Up, da Volkswagen, passou da 15ª para a 14ª posição no ranking, com 11.587 unidades financiadas. Já o Ethios HB, da Toyota, que não figurava entre os 20 modelos de carros novos mais financiados no ano passado, entrou no ranking no primeiro semestre do ano e passou a ocupar o 19º lugar, ao somar 7.889 unidades negociadas.

Entre as marcas, a Chevrolet foi a mais financiada nos seis primeiros meses do ano, com 96.366 automóveis leves zero quilômetro negociados. Em segundo lugar aparece a Fiat, com 76.481 unidades financiadas, seguida pela Volkswagen, com 73.808 unidades.

A Cetip é a integradora do mercado financeiro. É uma companhia de capital aberto que oferece serviços de registro, central depositária, negociação e liquidação de ativos e títulos. Por meio de soluções de tecnologia e infraestrutura, proporciona liquidez, segurança e transparência para as operações financeiras, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do mercado e da sociedade brasileira. A empresa é, também, a maior depositária de títulos privados de renda fixa da América Latina e a maior câmara de ativos privados do país.

*Com informações da Cetip

Nissan Kicks chega para dividir terreno

José Oswaldo Costa* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 22/07/16)

de São Paulo / SP

Nissan Kicks (56)Foram seis anos de trabalho para o desenvolvimento. De acordo com a Nissan, um modelo criado para atender às necessidades e expectativas, principalmente, do mercado brasileiro. Todo esse caminho percorrido para, agora, o crossover Kicks ser lançado oficialmente.

Estamos nos referindo ao evento de apresentação para a imprensa especializada como lançamento “oficial” porque o Kicks não é um veículo totalmente desconhecido do público brasileiro. Afinal, a montadora japonesa é uma das principais marcas patrocinadoras das Olimpíadas do Rio de Janeiro 2016.

Dessa forma, desde que o tour da tocha olímpica começou no país, sempre que vemos a imagem de alguma personalidade percorrendo ruas e avenidas, logo atrás dela está o Kicks, pelo fato de ser o veículo oficial do evento.

Mais uma vez, uma montadora se refere a um modelo como crossover, ou seja, um veículo que reúne a agilidade e eficiência de um hatch, o luxo e a segurança de um sedan e a versatilidade para trafegar em vários terrenos de um SUV. A Peugeot fez o mesmo com o 2008.

Nissan Kicks (57)Como dissemos no lançamento do belo projeto francês, esses veículos disputam mercado no segmento de utilitários esportivos compactos, não importa a nomenclatura que os executivos utilizem. Tanto que, por diversas vezes durante a apresentação do Kicks, os próprios gerentes e diretores da Nissan se referiram a ele dessa forma.

Sendo assim, nosso mercado acaba de receber um novo modelo para brigar em um segmento que cresce muito no Brasil e já conta com o Jeep Renegade, o Honda HR-V, o Ford EcoSport, o Renault Duster e o Peugeot 2008, citado anteriormente, entre outros.

Para que se tenha uma melhor idéia da força desse segmento, a Nissan apresentou um levantamento que mostra que, em 2010, os SUV’s compactos tinham 1,7% de participação no mercado nacional. Até maio deste ano, já representavam 9,8% das vendas totais.

Em 2010, quando eram vendidos mensalmente cerca de 277 mil carros, os utilitários compactos representavam 4,7 mil unidades desse total. Agora em 2016, que a média de vendas mensais caiu para 157 mil carros, o segmento é responsável pelo emplacamento de 15,6 mil unidades/mês.

Nissan Kicks (8)E a Nissan entende bem de utilitários. Em 2015, do total de suas vendas globais 27,6% foram de SUV/crossovers. Desde 2003, a montadora já comercializou 6,6 milhões de unidades desses modelos. Com 15 anos de Brasil, e 2 anos da instalação da planta de Resende (RJ), é a marca asiática líder de vendas no mercado europeu e a que mais cresce nos Estados Unidos.

Kicks – o mais novo veículo do mercado nacional foi desenvolvido como um modelo global. O Kicks também será vendido em outros mercados. O Brasil é o primeiro a recebê-lo e responsável pelo lançamento mundial, que ocorreu ao longo dessa semana.

Seus maiores destaques ficam por conta do design marcante, a tecnologia embarcada, sua praticidade e conforto, além do desempenho surpreendente do motor 1.6 16V, capaz de render até 114 cv (etanol e gasolina) e 15,5 kgfm de torque.

Pode parecer um motor pequeno, mas o Kicks traz o trunfo do baixo peso. Em comparação com o Jeep Renegade, por exemplo, ele é cerca de 300 kg mais leve. Basta pensar que essa diferença significa que o modelo do grupo FCA (Fiat Chrysler Automobiles) carrega três homens adultos, a mais, todos os dias.

Isso faz uma enorme diferença, tanto em relação ao desempenho quanto ao consumo de combustível. Aliás, de acordo com a Nissan, as medições mostraram que abastecido com etanol, o Kicks alcançou a média de 8,1 km/l na cidade e 9,6 km/l em estrada. Com gasolina, 11 km/l em trânsito urbano e 14 km/l em rodovias.

Nissan Kicks (41)O modelo utiliza câmbio CVT, a última geração do X-Tronic. Segundo a montadora, o modelo leva 12 segundos para sair da imobilidade e atingir os 100 km/h. A velocidade máxima é de 175 km/h.

A versão de lançamento é a topo de linha SL. Nesse primeiro momento, o Kicks será importado do México. Até o fim do ano fiscal da montadora (março de 2017), já será produzido na fábrica localizada no interior do estado do Rio de Janeiro e passará a contar com versões mais básicas.

Conforto e Segurança – O interior do modelo impressiona positivamente. É bastante confortável e utiliza materiais bem acabados, que passam sensação de maior luxo. Um bom exemplo disso é o couro sintético que também está presente na parte frontal do painel, além de forrar o apoio de braço das portas e os bancos. Esses últimos se destacam pela boa acomodação do corpo. O ar-condicionado é automático digital.

Nissan Kicks (46)Não passa despercebido o sistema multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas. A posição centralizada e inclinada para frente facilita a utilização tanto do motorista quanto do passageiro. Ela conta com seis alto-falantes, Bluetooth, GPS, entrada USB e uma boa novidade: câmera de 360º com detecção de objetos em movimento.

Ao acionar a marcha a ré, o condutor, além da tradicional visão do que ocorre atrás do veículo por meio da câmera, também tem a visão, em uma divisão da tela, do que ocorre ao redor do Kicks. Para isso foram instaladas quatro câmeras nele. A sensação é como estivéssemos olhando o veículo de cima.

Nissan Kicks (27)Não é uma novidade no mercado nacional. O Volkswagen Tiguan, por exemplo, conta com esse sistema. Mas, no seu segmento, de utilitários compactos, o Kicks é o único. Ganha-se de um lado, perde-se de outros. Tanto o Renegade quanto o HR-V oferecem o piloto automático (cruise control). O modelo da Nissan, não.

Em trechos de estrada com limite de velocidade e radar, como o que utilizamos para o primeiro test drive, teria sido muito útil. Seria fácil marcar os 120 km/h permitidos na bela e segura rodovia paulista na qual rodamos e esquecer o acelerador.

O painel de instrumentos é multifuncional e conta com tela TFT, também de 7 polegadas. Somente o velocímetro, posicionado à direita, é analógico. Todos os outros instrumentos são digitais. O sistema oferece 12 funcionalidades (conta-giros, visualização do GPS, visualização do sistema multimídia, indicações de consumo, entre outras). É a estreia mundial desse painel em veículos da marca.

Nissan Kicks (12)

Nissan Kicks (16)As dimensões do novo crossover/SUV compacto são as seguintes: comprimento – 4,30 metros; largura – 1,76 metro; altura – 1,59 metro e distância entre-eixos – 2,61 metros. O porta-malas tem capacidade para bons 432 litros e, o tanque de combustível, 41 litros. As rodas de liga leve são de 17 polegadas calçadas com pneus 205/55 R17.

Em termos de segurança, o Kicks conta com seis airbags (frontais, laterais e do tipo cortina), sistema Isofix para ancoragem de cadeirinhas de bebês, controle de tração e controle de estabilidade. Durante o evento, questionamos a ausência de freios a disco nas rodas traseiras. Eles também estão presentes tanto no modelo da Jeep quanto no da Honda.

A explicação foi de que testes revelaram que o baixo peso do veículo dispensava sua adoção. Porém, acreditamos que um modelo do preço do Kicks, com influência ou não do peso, deve apresentar freios a disco nas quatro rodas.

Falando em preço, o sugerido para a versão topo de linha (SL) apresentada é R$89,99 mil. O modelo estará nas concessionárias da marca a partir do dia 5 de agosto. Não por acaso, mesmo dia da abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro.

Nissan Kicks (51)

Fotos: Divulgação / Nissan / Marcos Camargo / Pedro Danthas

São cinco opções de cores para a carroceria: preto, prata, branco, marrom (que a Nissan preferiu chamar de cinza Rust) e cinza grafite. Ainda há a opcional carroceria cinza grafite com o teto pintado de laranja. Mas há um acréscimo de R$2,5 mil para isso.

No interior, três opções de cores para o couro sintético: preto, café e areia. O Kicks possui três anos de garantia e dois de assistência Nissan. A partir de janeiro de 2017, com o chamado “ano cheio”, a expectativa da Nissan é vender 30 mil unidades ano. Isso significa 2,5 mil unidades/mês.

Isso mostra que a Nissan, em um primeiro momento, quer ao menos a terceira colocação do segmento que, hoje, é disputada palmo a palmo pelo EcoSport e pelo Duster. HR-V e Renegade ainda estão um pouco acima.

O modelo da Honda é líder e obteve, nos seis primeiros meses do ano, média de 5.145 unidades/mês de vendas. Já o modelo da Jeep, cerca de 4.285 unidades/mês. Quando o portfólio do Kicks for ampliado, oferecendo mais opções, a Nissan poderá sonhar em brigar com esses líderes. Um produto com qualidades para isso, ela já possui.

 *o colaborador viajou a convite da Nissan

Ford apresenta o novo Edge

José Oswaldo Costa*

de Campos do Jordão / SP

Ford Edge (33)A Ford apresentou, nessa semana, o novo Edge. O crossover foi reestilizado e ganhou equipamentos, requinte e tecnologia para, segundo a montadora, passar a disputar o segmento premium. Até então, estava inserido no segmento de crossovers/utilitários esportivos médios.

Com a nova geração do modelo, o objetivo é encarar concorrentes como o Range Rover Evoque, BMW x5 e X6, Audi Q7, Volvo XC60 e XC90, entre outros.

Ford Edge (47)O Edge é equipado com motor 3.5 V6 capaz de render 284 cv e 339 Nm de torque. A transmissão é automática de seis marchas e, agora, passa a contar com a opção pelas trocas feitas através de “borboletas” instaladas atrás o volante. Ele também apresenta sistema de tração AWD (All-Wheel Drive) e controle de estabilidade.

O preço sugerido pela Ford para o novo Edge é R$229,90 mil. Vendido somente na versão topo de linha Titanium, seus únicos opcionais são o teto solar panorâmico (R$5 mil) e o sistema de DVD com telas instaladas atrás do dois encostos de cabeça dianteiros (R$5 mil). Leia a matéria completa no Diário do Comércio do próximo dia 29 de julho.

Edge - Interior (2)

Fotos: Divulgação / Ford

*O colaborador viajou a convite da Ford

 

Nissan Kicks é lançado oficialmente

José Oswaldo Costa*

de São Paulo / SP

Nissan Kicks (56)Ele é o carro oficial das Olimpíadas do Rio de Janeiro 2016. Em todas as imagens que vemos da tocha olímpica sendo carregada, logo atrás está ele. Ou seja, o crossover Kicks já é bem conhecido do público brasileiro.

Mas, agora, ele foi oficialmente apresentado à imprensa especializada. O modelo chega, nesse primeiro momento, importado do México e em versão única, a topo de linha SL. Porém, até março do ano que vem ele será fabricado na planta da Nissan em Resende (RJ) e ganhará versões mais básicas.

Nissan Kicks (57)O Kicks utiliza motor 1.6 16V (114 cv) e câmbio CVT. São seis opções de cores para a carroceria e três para o interior. O preço sugerido pela Nissan é R$89,99 mil e o modelo estará nas concessionárias da marca no dia 5 de agosto. Leia a matéria completa sobre o mais novo integrante do segmento de utilitários esportivos compactos (Jeep Renegade, Honda HR-V, Ford EcoSport, Renault Duster, Peugeot 2008, entre outros) no Diário do Comércio dessa sexta-feira, 22 de julho.

Nissan Kicks (46)

Nissan Kicks (12)

Nissan Kicks (27)

Fotos: Divulgação / Nissan

*o colaborador viaja  a convite da Nissan

Chega ao Brasil o novo Mercedes-Benz C 250 Coupé Sport

José Oswaldo Costa* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 15/07/16)

Archivnummer: SSPIP61850A Mercedes-Benz anunciou, nessa semana, a chegada ao País do novo C 250 Coupé Sport. O modelo será vendido com acabamentos externo (incluindo as rodas) e interno da divisão esportiva da marca, a AMG. O C 250 Coupé Sport passa a fazer parte do portfólio da marca para o mercado nacional a partir desse mês.

O novo esportivo é 90 mm mais longo do que o seu antecessor e 37 mm mais baixo do que o sedan da classe C. O para-choque dianteiro apresenta grandes entradas de ar, o que lhe confere um ar esportivo.

Ajudam nesse visual, que remete à esportividade, a linha de cintura elevada e as portas sem molduras. O defletor aerodinâmico dianteiro é cromado e as caixas das rodas contam com alargadores, que ressaltam as belas rodas de 18 polegadas.

As luzes diurnas são em LED e integradas aos faróis – que também são de LED. As lanternas traseiras apresentam duas seções, o que reforça a impressão de largura do modelo, e possuem quatro faixas horizontais. Ainda na traseira, a placa é posicionada no para-choque e o sistema de escapamento conta com duas ponteiras visíveis em cada extremidade.

Vei2 - Divulgação  Daimler AGO belo C 250 Coupé Sport utiliza motor 2.0 (211 cv), de quatro cilindros e injeção direta. Ele é capaz de levar o coupé aos 250 km/h de velocidade máxima, que é limitada eletronicamente. Da imobilidade aos 100 km/h ele leva 6,8 segundos. Trabalha em conjunto com essa motorização um câmbio automático de sete marchas. Há opção de trocas manuais, tanto através da alavanca do câmbio quanto por meio de “borboletas” no volante.

Para auxiliar na redução do consumo de combustível, sistema start/stop. A suspensão traseira é independente, o que melhora muito a estabilidade. Tanto a estrutura de suporte da suspensão quanto os braços de controle das molas são em alumínio forjado.

A direção é eletromecânica. Falando em direção, o modelo traz o sistema Dynamic Select que possibilita a escolha do modo de condução: Comfort, ECO, Sport, Sport + e Individual. Também está presente o Active Parking Assist, sistema que auxilia nas manobras de estacionamento.

Outro auxílio eletrônico oferecido é o Adaptive Brake que, entre outros recursos, oferece o Hill-Start Assist, que ajuda nas partidas em rampas;  a função Hold, que mantém o veículo parado sem necessidade do uso do pedal de freio; função de secagem dos discos de freio, que em caso de chuva, remove a umidade para agilizar a frenagem, e função de pré-carga (priming), que coloca as pastilhas em contato com o disco, automaticamente, sempre que o condutor tira o pé do acelerador. Isso reduz a distância necessária para parar o C 250 completamente em situações de emergência.

Archivnummer: SSPIP52218

Ainda dentro do itens de segurança presentes, destaque para os sete airbags (dianteiros, laterais, do tipo cortina e para os joelhos do motorista), o controle de estabilidade (ESP), a distribuição eletrônica de força de frenagem (EBD), o controle de tração (ASR), a tração eletrônica em cada roda (ETS), assistente de freio (BAS) e o sistema Isofix para fixação de cadeirinhas de bebês.

As principais dimensões do Mercedes-Benz C 250 Coupé Sport são as seguintes: comprimento – 4,69 metros; largura – 2,02 metros e altura – 1,40 metro. O porta-malas tem capacidade para 400 litros de bagagem e, no tanque, cabem 66 litros (mais 7 litros de reserva) de combustível.Os pneus utilizados são os 225/45 R18 e 245/40 R18. O peso do modelo é 1.540 kg. Os dados foram fornecidos pela Mercedes-Benz do Brasil.

No total, são nove cores de opção para a carroceria, sendo sete metálicas e duas sólidas. Já para o revestimento dos bancos, são cinco opções: preto/preto; cinza/preto; marrom/preto; porcelana/preto e vermelho/preto. O preço sugerido pela Mercedes para o novo C 250 Coupé Sport é R$245,90 mil.

Archivnummer: SSPIP52231
Fotos: Divulgação / Daimler AG

 *Colaborador

Honda CB 650F e CBR 650F estão no mercado

José Oswaldo Costa* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 15/07/16)

No fim de junho, a Honda apresentou a linha 2016 da família 500 de motocicletas. Ela engloba os modelos naked (CB 500F,) esportivo (CBR 500R) e crossover (CB 500X). Essa semana, foi a vez da Moto Honda da Amazônia mostrar as novas CB 650F e CBR 650F, porém, como linha 2017.

Vei7 - Honda CB 650F - Divulgação Honda - Marlos BakkerA CB 650F é uma motocicleta street fighter naked enquanto, a CBR 650F, é uma sport. Os dois modelos receberam atualizações em seus grafismos com combinações de cores exclusivas para o Brasil. O desenvolvimento foi realizado por designers brasileiros, na planta da marca em Manaus (AM).

As duas motocicletas passaram por aprimoramento do sistema de controle de emissões de poluentes para que estejam em conformidade com as normas da segunda fase do Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares (PROMOT 4). Para tal, foi adotado um sistema de cânister, com filtro de carvão ativo para emissões evaporativas do tanque de combustível, e aprimoramentos no sistema de catalisador.

De acordo com a Honda, com essas melhorias, houve sensível redução em gramas emitidas por quilômetro rodado: 42,7% no monóxido de carbono, 36,5% em hidrocarbonetos e 4,2% de óxido de nitrogênio. O monóxido de carbono emitido em marcha lenta caiu pela metade, ainda segundo a Honda.

Vei9 - Honda CBR 650F - Divulgação Honda - Marlos Bakker

Fotos: Divulgação / Honda / Marlos Bakker

A CBR e a CB 650F compartilham o mesmo motor. Ele possui quatro cilindros em linha, com sistema DOHC (Double Over Head Camshaft ou Duplo Comando de Válvulas no Cabeçote), 649 cm³ de capacidade, injeção eletrônica e arrefecimento líquido. A potência máxima é de 87 cv a 11.000 rpm com torque de 6,4 kgfm. Com transmissão final feita por corrente, o câmbio é de seis marchas.

O chassi, do tipo Diamond, também é o mesmo para as duas, da mesma forma que a balança traseira, do tipo monochoque em alumínio fundido. Ela é totalmente ajustável e tem curso de 43,5 mm, além de permitir sete estágios de configuração na pré-carga da mola.

As rodas traseiras são de 17 polegadas calçadas com pneus 180/55-ZR17M/C. O sistema de freio utiliza disco de diâmetro de 240 mm e cáliper simples. Na dianteira, rodas de 17 polegadas e pneus 120/70-ZR17M/C. O freio utiliza discos duplos de 320 mm e cáliper duplo. A suspensão, também de ambas, apresenta garfo telescópico convencional de 41 mm, com curso de 120 mm.

Os painéis de instrumentos, idênticos, apresentam velocímetro, tacômetro e relógio digitais. Marcador de combustível e hodômetros total e parcial utilizam medidor gráfico. O tanque de combustível tem capacidade de 17,3 litros para as duas motocicletas.

Tanto a CB 650F quanto a CBR 650F são vendidas em versão única, com sistema de freios ABS. Os preços públicos sugeridos, tendo como base o estado de São Paulo, e sem incluir frete e seguro, são os seguintes: CB 650F – R$37 mil e CBR 650F – R$38,80 mil.

As motos atualizadas possuem três anos de garantia, sem limite de quilometragem e contam, ainda, com o Honda Assistance. Ele contempla resgate e assistência ao motociclista em todo o Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai e Venezuela.

 *Colaborador