Volkswagen do Brasil disponibiliza versão on-line dos manuais de veículos da marca

Da Redação

Com o intuito de gerar cada vez mais praticidade aos seus clientes e facilitar o acesso à informação sobre seus produtos, a Volkswagen do Brasil passa a disponibilizar os manuais de veículos da marca também na versão on-line. Os arquivos eletrônicos são oferecidos para todo o portfólio da Volkswagen, nacionais e importados, inclusive para as versões de ano/modelo anteriores de cada veículo. Para acessar o manual do proprietário on-line, basta entrar no site da marca “http://www.vw.com.br”, em seguida acesse a opção “Serviços” e, por último, “Manuais Volkswagen”.

“A ação proporciona ao cliente consultar os manuais de veículos Volkswagen com muito mais praticidade e mobilidade, visto que também podem ser acessados via smartphone e tablet. O objetivo da marca é facilitar cada vez mais o acesso às informações sobre os nossos produtos a todos os clientes, pois é fundamental que ele observe o conteúdo do manual de instruções do veículo antes de utilizá-lo pela primeira vez e também durante a sua utilização, permitindo sempre o conhecimento abrangente do produto”, disse o gerente da área Técnica de Serviços da Volkswagen do Brasil, Claudio Patti.

Todos os veículos da marca Volkswagen seguem com o material de literatura de bordo, que contempla o manual de instruções do modelo com detalhes sobre a vista geral do automóvel; orientações sobre condução; conservação, limpeza e manutenção; dados técnicos; abreviaturas utilizadas, entre outras informações. A literatura de bordo conta também com guia de manutenção, garantia e manual de instruções de recursos e sistemas opcionais.

LinkOpen.aspx

Foto: Divulgação / Volkswagen do Brasil

Reaproveitamento de pneus aumenta as chances de acidente com automóvel

Da Redação

Apesar de desembolsar uma quantia menor para adquirir esse item, o custo-benefício dos pneus usados não vale a pena. Para este caso, o diretor de E-Commerce da KD Pneus, Carlos Molina, afirma que “o ditado ‘barato sai caro’ é bem aplicado”. Muitos deles podem ter um passado desconhecido ou duvidoso e mesmo aqueles que foram utilizados por pessoas conhecidas e cuidadosas geram riscos altos.

Ao reaproveitar os pneus, você pode estar adquirindo um produto já danificado. Muitas vezes, o item foi submetido à manutenções, armazenamentos e situações impróprias para o seu modelo. Esses tipos de avaria podem torná-lo, inclusive, impróprio para ser utilizado, afetando a resposta de frenagem do automóvel e aumentando as chances de aquaplanagem.

Os maiores riscos, entretanto, estão nos detalhes que não ficam aparentes, como o desgaste irregular, deformações, furos, pequenos rasgos, dentre outros. Eles só podem ser detectados, na maioria das vezes, por meio de uma avaliação realizada por um profissional e, muitas vezes, depois que um acidente for desencadeado.

O mais indicado, portanto, é optar por investir em segurança a partir da aquisição de um jogo novo de pneus, mas, para isso, é preciso saber avaliar adequadamente na hora da compra para não ser enganado. Confira algumas dicas:

Sulcos: Eles são responsáveis por afastar a água acumulada no asfalto antes que o pneu passe por ela, diminuindo os riscos de acidentes e proporcionando maior estabilidade nas estradas.

Em vista disso, Molina explica que a tecnologia aplicada por cada marca em seus pneus é o que os diferencia de responder bem em dia de chuva ou em terreno seco em suas variações. “Vale lembrar que, mesmo com essas questões de segurança, é importante sempre manter os limites de velocidade”, alerta.

Jogo completo: Muitas vezes, procurando economia, os motoristas não trocam todos os pneus ao mesmo tempo ou, então, optam por adquirir modelos diferentes em prol da economia. Adquirir itens diferentes um do outro pode gerar uma redução na segurança, além de comprometer o desempenho do automóvel.

Os pneus devem ter o mesmo perfil e tamanho, pois quando você instala quatro pneus diferentes entre si, a durabilidade fica comprometida, ficam desgastados de maneira irregular e principalmente, o carro fica descompensado tornando mais provável um acidente. Quando se trata de segurança, vale tomar todas as providências possíveis”, afirma Molina.

Mantendo as medidas e indicies, pode apenas trocar de marca apenas entre eixos. Ou seja, o eixo da frente pode ter pneus da marca Michelin e os de traseira da marca Goodyear.

Nunca pode-se ter na dianteira esquerda uma marca e na dianteira direita outra marca, por mais que sejam da mesma medida. Isso descompensa o veículo.

Características: Ao comprar um pneu, você precisa saber do que está em busca e para qual finalidade. Só assim a segurança estará garantida para você e sua família durante as viagens e aventuras sobre quatro rodas.

Carlos Molina dá um exemplo: “se o seu propósito é realizar trilhas, o pneu deve ser específico para off road. Caso você queira circular no asfalto, existem modelos com características diferentes”.

Velocidade: Existem pneus que atendem a questão da velocidade que o veículo pode atingir, apesar de poucos motoristas saberem e considerarem esta informação no momento de comprar um jogo de pneus. “Esses itens são voltados especificamente para o desempenho do automóvel e são mais indicados para os esportivos. De uma maneira ou outra, vale ficar atento”, aconselha.

T = Até 190 km/h

H = Até 210 km/h

V = Até 240 km/h

W = Até 270 km/h

Y = Até 300 km/h

ZR dentro da designação do tamanho = acima de 240 km/h

Pesquise: A última dica é pesquisar. Comprar o pneu na primeira loja que visitar pode não ser benéfico para o seu bolso e segurança. O diretor de E-Commerce da KD Pneus afirma que, antes de tomar qualquer decisão, é possível acessar o site de sua loja, conferir os modelos disponíveis e tirar dúvidas com os vendedores online, que sempre ficam à disposição dos clientes. Lembre-se, nem sempre o menor preço é o melhor preço

Maio Amarelo – Bosch apoia movimento em prol da segurança no trânsito

Da Redação

 

A Bosch apoia o movimento mundial Maio Amarelo, que tem o objetivo de chamar a atenção, conscientizar e engajar a sociedade em relação à questão da segurança no trânsito. A preservação da vida é o fator primordial desta ação que busca também provocar a reflexão sobre o tema em prol de atitudes e soluções conscientes para reduzir os altos índices de acidentes que ocorrem em todo o mundo.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), acidentes no trânsito matam cerca de 1,25 milhões de pessoas por ano, sendo que 90% estão em países de renda média e baixa. Além disso, esta é a principal causa de morte entre os jovens com idades entre 15 e 29 anos e de quase metade de todos os óbitos de pedestres, ciclistas e motociclistas nas estradas. No Brasil, as mortes no trânsito chegam a mais de 43 mil por ano, número preocupante que cresceu quase 2% no comparativo entre 2014 e 2013, segundo o Observatório Nacional de Segurança Viária, com base no DataSUS.

Prevenção no trânsito:

As imprudências dos condutores, como alta velocidade, desrespeito às leis de trânsito e embriaguez são fatores relacionados aos acidentes em estradas, avenidas e ruas, mas não são os únicos. A falta de manutenção preventiva nos veículos também é um ponto que contribui com o cenário negativo da segurança no trânsito.

“Nada adianta ter um veículo com tecnologia, conectividade e itens de segurança, como ABS e controle eletrônico de estabilidade, se a manutenção não estiver apropriada, ou seja, pastilhas gastas, pneus fora das especificações, níveis de fluidos abaixo do mínimo, além de outros itens que podem ocasionar pane no automóvel e, consequentemente, acidentes. Por isso, é tão importante visitar oficinas mecânicas para fazer um check-up com o objetivo de manter o veículo em pleno funcionamento”, explica Daniel Ângelo, gerente de Conceito de Oficinas da divisão Automotive Aftermarket da Robert Bosch.

O executivo destaca ainda que realizar a manutenção preventiva é usualmente mais econômica quando comparada à corretiva, que ocorre apenas quando os problemas já estão aparentes. Outro fator que compromete diretamente este custo é o fato de que um componente danificado prejudicar outros sistemas do veículo. “A manutenção preventiva é sempre a melhor opção”, completa Ângelo.

Atitudes que salvam vidas:

Para contribuir com a redução de acidentes, certas atitudes são fundamentais, entre elas, realizar a inspeção de diversos sistemas do veículo com regularidade e conforme as orientações da montadora contidas no manual do proprietário.

O sistema de freios é um desses itens que merece atenção e que deve sempre estar em boas condições, sendo recomendado verificá-lo para checar a necessidade de substituição dos componentes, como as pastilhas, discos, entre outros.

Também é importante observar o fluido de freios, já que é um produto diretamente ligado à segurança e atuação do sistema. Na hora de substituí-lo, é preciso levar em consideração à especificação correta para cada veículo, afinal, a aplicação de um fluido não adequado pode reduzir a eficiência da frenagem ou mesmo danificar o freio, trazendo sérios riscos ao condutor, passageiros e terceiros.

Novo Peugeot 3008 Advanced SUV

Da Redação

PEUGEOT_3008_2 - Copie

O novo Peugeot 3008 acaba de ser revelado. Muito esperado, o modelo investe no mercado de SUVs do segmento C, uma categoria de veículos que está em plena expansão em todas as regiões do mundo. Ele vai ao encontro de uma clientela exigente que está à procura de diferenciação e de novas experiências, e possui os atributos necessários para isso. Com seu espetacular Peugeot i-Cockpit® de última geração, seu design formidavelmente inspirado, sua arquitetura com desempenho otimizado e seus equipamentos high-tech, o novo SUV Peugeot 3008 já chega se destacando. Ele será o emblema mundial da nova gama de modelos SUV que está sendo estreada na Peugeot. O novo SUV Peugeot 3008 será a principal atração do estande da Peugeot no próximo Salão do Automóvel de Paris, onde será finalmente apresentado ao público antes do lançamento mundial.

PEUGEOT_3008_3

PEUGEOT_3008_5

PEUGEOT_3008_4
Fotos: Divulgação / Peugeot

Subaru comemora os 50 anos do seu motor Boxer

Da Redação

 

A Subaru, fabricante de veículos pertencente à Fuji Heavy Industries Ltd. (FHI), comemora, neste mês de maio, os 50 anos do lançamento do primeiro modelo da marca equipado com motor Boxer, que se caracteriza pelos cilindros horizontalmente contrapostos. A Subaru já produziu mais de 16 milhões de veículos equipados com motor Boxer nas últimas cinco décadas.

O modelo Subaru 1000, lançado em 14 de maio de 1966, foi o primeiro automóvel de passageiros da Subaru a sair de fábrica com o motor Boxer. Desde então, a marca tem trabalhado intensamente para ampliar ainda mais as vantagens e modernizar a motorização Boxer.

SUBARU_1000__primeiro_Subaru_com_motor_Boxer___Alta_Resolucao

Subaru 1000 (1966)

No Brasil, toda a atual linha de veículos Subaru, importada e comercializada com exclusividade no Brasil pela CAOA, conta com os significativos benefícios e a alta performance dos motores Boxer.

O elevado nível de tecnologia presente nesse tipo de motorização é amplamente reconhecido no mercado brasileiro. Um exemplo disso é a recente conquista do modelo Subaru Forester Sport, equipado com motor Boxer 2.0 litros aspirado (150 cv / 20,2 kgfm), que recebeu a nota máxima “A”, indicando o menor nível de consumo de combustível na categoria “Grande” do “Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular” (PBEV), elaborado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), em parceria com o Programa Nacional de Racionalização do Uso dos Derivados do Petróleo e do Gás Natural, Conpet.

Sobre o motor Boxer:

A origem do termo “Boxer” remete aos movimentos realizados pelos boxeadores, uma analogia entre o movimento executado pela dupla de pistões e os golpes deferidos por um praticante desse esporte.

No motor com os cilindros horizontalmente opostos, os pistões se movimentam em uma disposição simétrica e contrapostos, anulando, assim, a força de inércia entre eles. Isso resulta em reduzido nível de vibrações, contribuindo para um funcionamento suave do motor, independentemente da faixa de rotação em que ele esteja trabalhando.

Motor_SUBARU_Boxer___Imagem_02___Alta_resolucao

Motor Boxer da Subaru

Além disso, outra vantagem do motor Boxer, quando comparado com os propulsores de construção em “linha” ou em “V”, é o seu baixo centro de gravidade, proporcionado pelas suas dimensões compactas e distribuição equilibrada de peso. O baixo centro de gravidade aumenta a estabilidade e contribui para uma condução segura em altas velocidades e curvas rápidas.

O motor Boxer, associado ao sistema da Subaru denominado Symmetrical All-Wheel Drive (SAWD), oferece a combinação entre estabilidade superior e elevada capacidade da tração 4×4, obtida pela sua equilibrada distribuição de peso, o que resulta em melhor dirigibilidade e maior segurança em diversos tipos de terreno.

SUBARU_Legacy___Alta_Resolucao

Subaru Legacy

Fotos: Divulgação / Subaru / CAOA

Nissan apresentou o Sentra 2017

José Oswaldo Costa*

de São Paulo (SP)

 

A Nissan apresentou, nessa semana, o novo Sentra (linha 2017). O sedan-médio passou por reestilização e a principal alteração ocorreu na dianteira. Ele também recebeu novas tecnologias embarcadas, principalmente, na versão topo de linha, a SL.

O Diário do Comércio trará matéria completa sobre o novo modelo na edição do próximo dia 27/05.

Por enquanto, adiantamos os preços sugeridos e as versões disponíveis do Sentra, além das fotos oficiais:

Nissan Sentra S – R$79,99 mil

Nissan Sentra SV – R$84,99 mil

Nissan Sentra SL – R$95,99 mil

Todas as versões utilizam o motor 2.0 16V  (140 cv) e câmbio CVT. Os controles de tração e estabilidade também estão presentes.

O Nissan Sentra 2017 já está à venda nas concessionárias da marca.

*o colaborador viajou a convite da Nissan Brasil

Sentra SV - Frente

Sentra SV - Traseira

Sentra SV

Sentra SV - PainelSentra SV  - Tela Ca݂mera de Re݁

Fotos: Divulgação / Nissan Brasil