Veículos na cor branca continuam em alta junto ao consumidor brasileiro

Da Redação

A PPG (NYSE: PPG), líder mundial em tintas e revestimentos, anunciou os resultados de sua pesquisa anual com as cores automotivas mais populares. O estudo mundial, que serve de base para saber quais serão as mais utilizadas nos próximos anos pela indústria automobilística, revela que os consumidores continuarão a preferir carros com tonalidades neutras.

O brasileiro está em linha com os demais clientes da América do Sul ao querer a cor branca no momento da compra. Em menos de uma década, a procura pelo branco quase triplicou ao saltar de 13%, em 2009, para 37%, atualmente. Isso fez com que superasse o até então líder absoluto prata, que ficou estabilizado em 29% de procura. Em seguida, aparecem as cores preta (12%), cinza (10%) e vermelho (8%).

Atualmente, cerca de 40% dos veículos de luxo no Brasil apresentam a cor branca. Já entre os populares, este índice chega a 35%.

“Pela alta demanda dos últimos anos, o mercado desenvolveu variações de brancos. O mais sofisticado é o branco perolizado, que é mais difícil de produzir e possui um valor maior. O mais vendido é o branco liso tradicional”, afirmou Alex Amorim, Diretor de Laboratório Automotivo OEM da PPG.

Outra novidade foi o desenvolvimento de um branco liso um pouco mais escuro e amarelado, chamado de off white. Esse diferencial apresentado pelas montadoras conquistou o consumidor brasileiro.

Tendência mundial

Os resultados da América do Sul se parecem muito com a percepção mundial na escolha de cores automotivas. Segundo o estudo da PPG, a cor branca também se mantém como a mais popular entre os veículos globais, com 38%. No ano anterior, por exemplo, este índice era de 35%.

Na segunda colocação no ranking mundial de cores preferidas está a preta, com 16% de procura. Em seguida, aparecem a prata e a cinza, com 12% e 10%, respectivamente. As quatro pinturas, somadas, representam 75% dos carros produzidos em 2016, de acordo com os dados da pesquisa.

Parcela de brasileiros que almeja comprar carro em um ano sobe de 40% para 48%, indica Mercado Livre

Da Redação

Pesquisa do Mercado Livre Classificados, encomendada ao Ibope Conecta, aponta que a parcela de brasileiros interessados em trocar de carro em até um ano subiu 20% em relação ao ano passado: passou de 40% para 48% dos brasileiros. A pesquisa foi realizada com 500 respondentes no período de 14 a 20 de outubro em todas as regiões do Brasil.

Entre os entrevistados que já possuem um carro (80% da amostra), a maioria (56%) deseja trocar o carro atual por um zero quilômetro e 24% por um usado. Vinte e um por cento ainda não se decidiram por qual veículo comprar.

Entre os brasileiros que não possuem um carro (20% da amostra), 33% disseram que pretendem comprar um veículo no prazo de um ano, e uma boa parcela (26%) se planeja para adquirir um carro somente daqui a 3 anos. Desta amostra de potenciais novos consumidores de veículos, 31% pretendem comprar um carro novo, e 30%, um usado.

O valor a ser gasto por eles – independentemente do prazo em que pensam em adquirir um veículo – é, para a maioria (69%) de até R$40 mil. Um valor que mostra que o consumidor está um pouco mais seguro para pagar por um automóvel do que no ano passado, quando a mesma pesquisa apontou uma pretensão de gasto de R$ 30 mil.

Oito por cento se disseram dispostos a pagar até R$50 mil em um carro, e apenas 3%, até R$60 mil. Dezessete por cento ainda não sabem o valor que planejam gastar na compra do carro. Na hora de pesquisar por um carro na internet, o computador ainda é mais utilizado do que outros dispositivos, com 90% das menções. Porém, o uso do celular passou a ter 66% das menções neste ano – um crescimento expressivo em relação a 2015, quando representava apenas 26%.

Os entrevistados também mencionaram o uso de tablets (19%) e de SmartTVs para as buscas, com 7%. A maior parte de quem já possui um carro (56%) deseja um zero quilômetro. Já os potenciais compradores estão divididos entre comprar um carro novo (31% dos entrevistados) ou usado (também 31%).

Para o total de entrevistados que não têm carro, preço (87%) e consumo de combustível (74%) são os itens mais importantes na hora da escolha do modelo. Os modelos favoritos dos brasileiros são o hatch e sedã, responsáveis por 76% dos veículos.

O acessório mais indispensável de um carro não é o vidro elétrico (24%) ou a direção hidráulica (63%), mas sim o ar condicionado: o item foi apontado por 68% dos entrevistados como o mais importante.

Os classificados online são a forma favorita de comprar e vender carros para 52% dos internautas. Entre os que já têm carro, 52% compram e vendem por meio de classificados na internet, enquanto 29% preferem utilizar feiras livres e 20% optam por anúncios nos jornais impressos.

Entre os que têm intenção de comprar um carro, 40% compram e vendem pela internet; 29% utilizam feira livre e 18% preferem fazer anúncio em jornal impresso.

“O consumo de carros continua, mesmo em um cenário recessivo. A pesquisa mostra que o motorista planeja e tenta viabilizar a troca de seu veículo para atender uma necessidade real, que é o que movimenta a economia”, afirma Caio Ribeiro, diretor do Mercado Livre Classificados.

A maioria dos internautas que procuram motos (54%) está em busca de uma alternativa para escapar ao trânsito; 34% querem fugir do transporte público; 30% gostam de moto ou usa por hobby; 27% trabalham com moto e 7% usam como segundo veículo para fugir do rodízio municipal (São Paulo).

Dos proprietários de carros, 18% responderam que costumam gastar até R$200 por mês com a manutenção do carro; metade dos entrevistados (50%) gasta entre R$201 e R$500; e 28% afirmaram gastar mais de R$500 todo mês. O levantamento foi realizado entre 14 e 20 de outubro com 500 respondentes das regiões Sudeste (53%), Sul (18%), Nordeste (16%) e Norte e Centro Oeste (13%).

Jeep Renegade 2017 traz motor mais potente

Da Redação (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 18/11/2016)

vei1-renegade-divulgacao-fca-studio-cerriO Jeep Renegade é um SUV compacto com plataforma própria, ponto de partida inclusive para modelos maiores. O modelo mantém exclusividades no segmento como motor diesel, câmbio automático de nove marchas, suspensão independente nas quatro rodas, dois tipos de teto solar, entre outras.

A linha 2017 do Renegade já está disponível nas 200 concessionárias da marca com uma série de novidades. As versões equipadas com o motor 1.8 Flex receberam um pacote de evoluções técnicas, com ênfase na eficiência energética.

Bons exemplos disso são o coletor de admissão variável (VIS), a partida a frio sem tanque auxiliar, o sistema Stop/Start, o monitoramento indireto da pressão dos pneus (iTPMS), o indicador de troca de marchas no quadro de instrumentos, os chamados pneus “verdes”, alternador e bomba de combustível inteligentes e os óleos de baixo atrito para motor e transmissão.

As alterações no propulsor fizeram o Renegade 1.8 Flex ficar, de acordo com a Jeep, 5% mais potente, rendendo 7 cv a mais. Agora a potência máxima é de 139 cv a 5.750 rpm, com etanol. O torque máximo subiu para 19,3 kgfm a 3.750 rpm e, mais importante, a força é entregue de forma mais linear por toda a faixa de giros.

As alterações resultam em melhor desempenho, maior agilidade nas situações mais corriqueiras de trânsito e menores índices de consumo e de emissões – até 10% a menos, dependendo da versão, ainda segundo a montadora.

Com o coletor de admissão variável, também chamado de VIS (sigla inglesa para Variable Intake System – sistema de admissão variável), o motor 1.8 passou a responder com mais prontidão, algo notado especialmente em baixas rotações.

A Jeep informou que estudos com os consumidores apontam que em 80% do uso urbano o motor opera abaixo de 2.000 rpm. Em resumo, são dois coletores em um só: até 4.000 giros, o ar que vai para os cilindros passa por um caminho mais longo, favorecendo o torque. Acima dessa rotação, uma aleta é acionada e faz o ar percorrer um trajeto mais curto, gerando mais potência.

vei2-renegade-divulgacao-fca-studio-cerriEconomia – O sistema Stop/Start contribui decisivamente com a redução do consumo, desligando o motor em paradas de semáforo ou engarrafamentos, e religando assim que se solta o pedal do freio (quando o câmbio é automático) ou a embreagem é pressionada (com a caixa manual). Ao lado do câmbio, uma tecla no console permite desligar o sistema, se o motorista preferir.

Já o sistema eletrônico de partida a frio traz mais economia. O recurso, que aquece o combustível dentro do tubo distribuidor, entra em ação sempre que a temperatura é inferior a 16°C e há mais de 70% de etanol no tanque.

Os pneus “verdes” diminuem a resistência de rolagem, contribuindo em até 2% na redução do consumo de combustível. Além disso, eles geram menos ruído e têm desempenho mais constante ao longo da vida útil.

Outro recurso que o Renegade com o motor 1.8 recebeu foi o modo de condução Sport. Acionando esse botão no painel, logo acima dos comandos do ar-condicionado, o carro não apenas apresenta uma sensação maior de prontidão, como realmente entrega mais desempenho.

O acelerador fica mais direto e, nas versões com câmbio automático de 6 marchas, o ajuste é focado em performance, demorando mais para trocar as marchas, entre outras medidas.

Limited – Com essa motorização, o Renegade passa a ter uma nova versão topo de linha: Limited. Ela tem como maiores diferenciais visuais a pintura prata na grade dianteira, capas dos retrovisores externos e barras de teto.

vei4-renegade-divulgacao-fca-studio-cerri

Fotos (exterior): Divulgação / Fiat Chrysler Automobiles – FCA / Studio Cerri

O teto é sempre pintado de preto e as rodas de 18 polegadas têm pintura exclusiva. Entre os equipamentos a mais que a versão Longitude 1.8, destaque para: bancos de couro; chave de presença; tela de TFT de 7 polegadas, colorida e configurável no quadro de instrumentos; faróis de xenônio; sensores de faróis e de chuva; rebatimento elétrico dos retrovisores e espelho interno eletrocrômico.

vei5-renegade-divulgacao-fca

Preços sugeridos para a linha 2017 do Jeep Renegade:

1.8 Flex (manual – 5 marchas) –  R$ 72,99 mil

Sport 1.8 Flex (manual – 5 marchas) – R$ 79,49 mil

Sport 1.8 Flex (automático – 6 marchas) – R$ 85,99 mil

Longitude 1.8 Flex (automático – 6 marchas) – R$ 90,99 mil

Longitude (teto) 1.8 Flex (automático – 6 marchas) – R$ 97,79 mil*

Limited 1.8 Flex (automático – 6 marchas) – R$ 97,99 mil

Limited (teto) 1.8 Flex (automático – 6 marchas) – R$ 104,79 mil*

Sport 2.0 Diesel 4×4 (automático – 9 marchas) – R$ 115,99 mil

Longitude 2.0 Diesel 4×4 (automático – 9 marchas) – R$ 123,49 mil

Trailhawk 2.0 Diesel 4×4 (automático – 9 marchas) – R$ 136,99 mil

 * versão com teto solar panorâmico

vei3-renegade-divulgacao-fca

Fotos (interior): Divulgação / Fiat Chrysler Automobiles – FCA

Entre os itens que o SUV compacto apresenta, podemos destacar: controle anticapotamento (de série em todas as versões); suspensão independente nas quatro rodas; faróis de neblina com função cornering (ligam automaticamente para o lado em que se vira o volante, em baixa velocidade ou durante manobra – de série em todas as versões); ar-condicionado digital de duas zonas (de série na Longitude, Limited e Trailhawk); airbag para os joelhos do motorista (de série na Trailhawk); detectores de pontos cegos (opcional) e duas variedades de teto solar (panorâmico ou removível – opcionais).

Ducati apresenta a nova 959 Panigale

Da Redação

959_panigale_28-2Com DNA de superesportiva, a 959 Panigale confirma as características do modelo maior, a 1299 Panigale, onde a ciclística acertada é um dos grandes destaques.

A nova unidade de transmissão de 955 cm3 de cilindro duplo em “L” vem com um novo comprimento do curso e outras inovações que resultam numa curva de torque ainda mais impressionante e potência máxima de 157 hp a 10.500 rpm.

A 959 Panigale é a primeira Superquadro a obter a homologação no Promot 4.

O motor super macio foi projetado para conferir ao piloto uma experiência de pilotagem cotidiana mais prazerosa e de emoção garantida na pista de corrida.

Com o sistema Desmo, as válvulas são fechadas mecanicamente com o mesmo nível de precisão que no estágio de abertura, possibilitando os perfis de cames pronunciados e os tempos de cames radicais necessários para conseguir os típicos padrões de alto desempenho deste modelo. Este sistema é usado em cada motocicleta Ducati e é comprovado constantemente nas motos do

O prazo de manutenção do modelo é de 12.000 km (12 meses) e para as inspeções de folga das válvulas somente a cada 24.000 quilômetros.

959_panigale_23-2

Fotos: Divulgação / Ducati

Com tecnologia de gente grande, o novo modelo traz o Ducati Quick Shift (DQS), tecnologia de modos de pilotagem incluindo Ride-by-Wire, ABS Bosch de estágio triplo, controle de tração Ducati (DTC) e controle de frenagem do motor (EBC). A 959 possui três modos de pilotagem disponíveis: Race, Sport e Wet.

Race: ao selecionar o modo de pilotagem Race (corrida), o piloto pode usar o modo “Alto” garantindo potência de 157 hp com comportamento do motor de alta resposta à abertura da aceleração. O modo Race também reduz o grau de intervenção do sistema DTC, proporciona um EBC orientado a corridas e ABS apenas frontal, sem controle de elevação da extremidade traseira.

Sport: selecionando o modo de pilotagem Sport (esportivo), o piloto pode usar o modo de potência “Médio”, garantindo potência de 157 hp com uma resposta mais suave do motor à abertura da aceleração. O modo Esportivo aumenta ligeiramente o grau de intervenção do sistema DTC e proporciona um EBC com orientação esportiva, ativação do ABS dianteiro e traseiro para maior controle da elevação da extremidade traseira.

Wet: a forma de pilotagem Wet (úmido) disponibiliza o modo de potência “Baixo” para uso em estrada ou pista com potência de 100 hp e uma resposta ainda mais suave do motor à abertura da aceleração. Isso corresponde ao nível máximo de intervenção do DTC, com o ECB de acordo com as condições climáticas e uma configuração ABS mais “invasiva” em termos de eficiência contra travamento e prevenção de elevação da extremidade traseira.

959_panigale_16-2

Divulgação / Ducati / Marco Campelli

A 959 Panigale está disponível no tradicional vermelho Ducati com rodas pretas ou na cor Arctic White Silk com rodas vermelhas contrastantes.

A previsão é de que o novo modelo estará nas concessionárias Ducati em todo o Brasil no final do mês de janeiro/2017.

A 959 Panigale tem preço sugerido ao consumidor de R$62,90 mil e está disponível para pré-venda pelo site http://www.brasil.ducati.com

Ram 1500 será apresentada ao público do Salão do Automóvel

Da Redação

imagemO público que for ao São Paulo Expo poderá ver a Ram 1500 pela primeira vez de modo oficial no Brasil. Apesar de ser a menor das picapes da marca Ram feitas na América do Norte, ela não tem nada de pequena.

Muito pelo contrário, pois seus 5,81 metros de comprimento, cerca de 50 cm maior que os modelos considerados médios, a colocam no segmento das picapes grandes, ao lado da Ram 2500 – esta já à venda no Brasil.

imagem1A versão de acabamento exibida no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo é a Laramie, com cabine Crew Cab, a maior disponível para a 1500. Ao contrário da 2500, porém, a 1500 não exige no país o porte de carteira de habilitação C, caso venha a ser importada.

imagem2powertrain da Ram 1500 combina força e refinamento como poucos, com o motor 3.0 V6 de 243 cv e o câmbio automático de oito marchas. A versatilidade de uso é garantida pela tração 4×4 e pela suspensão a ar, que proporciona ótimo conforto de rodagem.

imagem4

Fotos: Divulgação / Fiat Chrysler Automobiles – FCA / Studio Cerri

A picape conta com seis airbags, teto solar, bancos dianteiros com aquecimento e ventilação, sistema de áudio premium (nove alto-falantes e um subwoofer) e chave de presença (abertura das portas, caçamba e ignição sem usar a chave).

 Irmã maior

Única picape grande do mercado nacional, a Ram 2500 Laramie foi renovada no ano passado para reforçar sua vocação de “carro de luxo do homem do campo”. O poderio do motor turbodiesel Cummins de seis cilindros em linha e 6,7 litros faz dela também a picape mais forte do Brasil, com 330 cv de potência e 104 kgfm de torque. E também a com maior capacidade de reboque: 7.750 kg.

Maserati Levante, primeiro SUV da marca, estará no Salão de SP

Da Redação

maserati-levante

Foto: Divulgação / Maserati

A Maserati revela pela primeira vez no Brasil o design do Levante, o primeiro SUV em mais de 100 anos de história da marca: o novo modelo completa o portfólio atual de sedans super-luxo e esportivos, composto pelos modelos Quattroporte, Ghibli, GranTurismo e GranCabrio.

O design do Levante apresenta clara associação com a marca Maserati e seu distinto caráter italiano: a frente agressiva introduz novos faróis separados em dois elementos, com a parte superior conectada à grade do radiador.

A assinatura do design Maserati é observada nas laterais, com as 3 entradas de ar icônicas presentes em seus para-lamas frontais, além das janelas fixadas em suas portas sem moldura.

O chassis da Levante foi desenvolvido para combinar alta performance nas ruas e estradas, típica de todos os modelos Maserati, além de alto nível de controle em pistas com baixo nível de aderência ou no uso off-road.

O Maserati Levante é construído na fábrica de Mirafiori em Turin, Itália. A comercialização do Levante no Brasil será realizada pelo Grupo Via Italia, dealer exclusivo da Maserati no País.

As demais informações sobre o SUV serão passadas para a imprensa especializada durante a coletiva que será realizada no estande da Maserati no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, na próxima semana.

Fiat Toro Freedom passa a contar com o motor TigerShark 2.4 Flex

Da Redação

toro-freedom-2-4-flex-1A Toro, de acordo com a Fiat, superou a marca de 30 mil unidades/vendidas em todo o Brasil desde o seu lançamento. Com isso, conquistou o segundo lugar no ranking de vendas de comerciais leves, atrás somente de outro produto da marca, a Fiat Strada.

Agora, a Fiat lança a Toro Freedom 2.4 Flex, equipada com o  motor global da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), o 2.4 Tigershark Multiair Flex 16V, de última geração, que rende 186 cv de potência e 24,9 kgfm de torque.

toro-freedom-2-4-flex-4Acompanhando o novo propulsor aparece o câmbio automático de nove velocidades, inédito entre as picapes cabine dupla flex, e sistema Start & Stop para melhorar  os índices de consumo de combustível.

Além de todos os itens de série da Freedom 1.8 Flex, a nova versão recebe capota marítima, retrovisores elétricos, brake light, luz de caçamba, sensor de pressão nos pneus, volante em couro + tecla áudio + borboletas para as trocas de marchas, rodas Super Spoke de 16 polegadas, além da nova cor perolizada exclusiva para a versão, a Branco Polar.

toro-freedom-2-4-flex-3Como opcionais, teto solar elétrico, barras longitudinais no teto, faróis de neblina, bancos revestidos parcialmente em couro, sensor de chuva, sensor crepuscular, retrovisor interno eletrocrômico, câmara de ré, central multimídia com tela de 5”, navegação GPS, comandos de voz Bluetooth, áudio Streaming, entrada aux, porta USB, MP3 e rádio AM/FM, rodas de liga leve 6.5 x 17” + pneus de uso misto, mais side bags dianteiros, window bags e knee bag (airbag de joelho motorista).

O preço sugerido para a Fiat Toro Freedom 2.4 Flex é R$98,73 mil.

toro-freedom-2-4-flex-5

Fotos: Divulgação / Fiat Automóveis / FCA