Triumph será fornecedora oficial de motores da Moto2 a partir de 2019

Da Redação

0o6a4648_street-triple-rsNesse último sábado, a Triumph Motorcycles foi anunciada como fornecedora exclusiva de motores, a partir de 2019, para o Campeonato FIM Moto2 – uma das classes que integra o Campeonato Mundial de Motovelocidade, a mais importante competição de motocicletas do planeta.

A fabricante inglesa assinou um contrato de três anos com a Dorna (detentora dos direitos comerciais da competição) para fornecer um motor Triumph de três cilindros com 765 cc, baseado no novíssimo propulsor que equipará a nova Street Triple 2017 – motocicleta que chegará ao mercado brasileiro em agosto deste ano.

O novo motor é um desenvolvimento significativo do vitorioso motor Daytona 675R, que possibilitou a vitória desta esportiva em provas como “Isle of Man TT”, “Daytona 200” e “British Supersports” em 2014 e 2015.

triumph_hd6_engine_still_fr228_001Com base na mais alta especificação do motor de 765 cc, a nova Street Triple RS foi desenvolvida para a Moto2 com as seguintes modificações:

·Cabeçote do cilindro modificado, com novas portas de admissão e de exaustão, para um fluxo de combustível otimizado.

·Válvulas de titânio e molas das válvulas mais rígidas, para um aumento de rotação.

·Kit alternador de baixa saída para redução de inércia.

·Relação de transmissão de 1ª marcha mais longa.

·Embreagem deslizante/assistida (slipper clutch), desenvolvida para competição,  na qual será ajustável.

·Módulo da injeção eletrônica específico de competição, que será desenvolvido em conjunto com a Magneti Marelli.

·Tampa do motor reprojetada para redução de largura.

·Cárter modificado para permitir uma melhoria no fluxo do coletor.

Tendo como base o novo motor da Street Triple 2017, o Triumph Moto2 765cc foi desenvolvido e ajustado para proporcionar ganhos de potência e torque. No modo de pilotagem “estrada”, o motor proporciona o mais alto nível de desempenho para uma Street Triple, fornecendo potência de 123 cv (a 11.700 rpm) e torque de 77 Nm (a 10.800 rpm).

triumph_moto2_005Este novo motor possui mais de 80 peças novas, em comparação com o motor da geração anterior, incluindo um aumento do diâmetro e do curso. Os componentes novos incluem:

·Novo virabrequim

·Novos pistões

·Novas bielas e eixo balanceador

·Cilindros galvanizados em Nikasil

·Caixa de marchas revisada

A tecnologia do novo motor Triumph 765 cc Moto2 foi desenvolvida para possibilitar que o motor aspire mais livremente e com maior rotação comparado a uma motocicleta padrão, aumentando ainda mais o desempenho geral.

530a9197_street-triple-rsOutras alterações foram feitas especificamente para o uso em corridas. Para assistir ao filme do motor Triumph Moto2, clique aqui: https://youtu.be/bDT8y0WEfxo.

Paul Stroud, Chief Commercial Officer da Triumph Motorcycles, afirmou: “Este é um momento significativo para a Triumph, iniciando um novo e empolgante capítulo em nossos 110 anos de história e tendo como base nossos celebrados e vitoriosos motores triplos TT e Supersports. Esperamos consolidar uma longa e empolgante relação com a Dorna e as equipes, pilotos e torcedores da Moto2″.

Carmelo Ezpeleta, Diretor Executivo da Dorna, acrescentou: “Estamos muito felizes em trabalhar com uma das mais icônicas marcas de motocicletas. Os motores três cilindros da Triumph são conhecidos por sua força, transmissão e entrega de torque e obtiveram muito sucesso na pista, tornando-os a escolha ideal para o campeonato Moto2. Estamos ansiosos para a temporada de 2019 e o início de uma nova geração da Moto2, em parceria com a Triumph”.

Julian Simon, Campeão Mundial 125cc 2009 e vice-campeão da Moto2 e experiente piloto de testes da Moto2, que esteve envolvido nos testes da fase de desenvolvimento do motor, disse: “O motor parece muito forte e sua faixa intermediária é particularmente impressionante. A sensação entre o acelerador e a roda traseira é muito direta e controlável. O sentimento geral é muito bom e o motor já mostra um grande potencial”.

street-triple-rs-tft-screen-530a1755

Fotos: Triumph Motorcycles Brazil / Divulgação

Argo, novo hatch compacto da Fiat, chega ao mercado

José Oswaldo Costa*  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 02/06/2017)

de São Paulo (SP)

Argo

Foto: Marcos Camargo / FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

A Fiat apresentou para a imprensa especializada, nessa semana, seu mais novo hatch compacto: o Argo. O modelo, que chega para aposentar o premiado Punto, conta com três opções de motores e três tipos de câmbio. No total, são sete versões.

Durante o lançamento do novo produto, em São Paulo (SP), a diretoria da montadora italiana deixou bem claro quais são os alvos da concorrência para os quais está apontada a mira do Argo: Chevrolet Onix, Hyundai HB20, Volkswagen Fox e Toyota Etios.

O novo modelo chega para disputar mercado no segmento de hatches compactos com o preço acima de R$ 45 mil. Abaixo desse preço, a Fiat já conta com o Mobi, o Uno e o Palio. O presidente do grupo FCA – Fiat Chrysler Automóveis, Stefan Ketter, deixou claro que Argo é o primeiro veículo para “rechear o sanduíche” que tem a picape Toro, no topo, e o Mobi, na base.

Ou seja, tais palavras nos levam a crer que a montadora prepara um substituto para o Bravo (hatch médio), que pode ser o Tipo, lançado recentemente na Europa, ou para o Palio, que se mostra bastante defasado frente aos concorrentes.

Não podemos esquecer que, dentro desse recheio, também há espaço para um sedan-médio, substituto do Linea. Nesse caso, o mesmo Tipo, mas com carroceria sedan.

Argo 3

Foto: FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

A aposta no Argo é alta, tanto que Ketter chegou a dizer em seu discurso no lançamento que “esse carro é fundamental para a marca Fiat”. Afinal, a montadora perdeu a liderança do mercado nacional para a General Motors e esse quadro vem se mantendo em 2017.

E a situação fica ainda pior se, do total de vendas, tirarmos os números relativos aos chamados comerciais leves (picapes e furgões) e considerarmos somente os automóveis.

Motores e Transmissões – Como dissemos anteriormente, o Argo possui três opções de motores e três de câmbio. Os motores são os seguintes: 1.0 de três cilindros (77 cv e 10,9 kgfm de torque com etanol) 1.3 (109 cv e 14,2 kgfm de torque com etanol) e 1.8 (139 cv e 19,3 kgfm de torque com etanol).

Para o motor 1.0, a opção de câmbio é o manual de 5 marchas. Para o motor 1.3, manual de 5 marchas ou automatizado (GSR). Já o motor 1.8 pode trabalhar em conjunto com o câmbio manual de 5 marchas ou com o automático de 6 marchas.

O desenho da frente do Argo bebeu na mesma fonte, principalmente os faróis que avançam para as laterais do veículo, do subcompacto Mobi. A grade também é bastante semelhante. O conjunto traz uma (bem-vinda) impressão de esportividade e robustez para o hatch.

Em algumas versões há um friso, em cor diferente da carroceria, que atravessa a base do para choque de uma ponta a outra, localizada abaixo dos faróis de neblina. Na HGT, a mais esportiva, ele é vermelho.

A traseira, com design moderno e esportivo, foi muito bem desenvolvida, trazendo belas lanternas que avançam sobre a tampa do porta-malas. Uma boa sacada da Fiat foi colocar na tampa o nome da marca e, não, o tradicional escudo vermelho. Preencheu de maneira proporcional o espaço destinado para esse fim e ficou diferenciado.

Argo 2

Foto: Marcos Camargo / FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

No interior, destaque para o bom nível de acabamento e os materiais escolhidos. O painel é bonito e conta com acabamento bicolor (versão esportiva) que utiliza o vermelho para a parte central, que engloba as saídas de ar.

Falando nelas, ponto para a Fiat por ter optado por três saídas centrais. Perfeito para um país tropical como o nosso. O quadro de instrumentos apresenta os dois marcadores tradicionais (velocímetro e conta-giros) e uma tela de TFT entre eles. Dependendo da versão, ela é de 7 polegadas.

imagem(5)

Foto: FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

A tela do sistema multimídia (também de 7 polegadas), sensível ao toque, foi alojada acima das saídas de ar, de uma forma proeminente que facilita a utilização.

imagem(4)

Foto: FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

Os cinco ocupantes contam com encostos para a cabeça e cinto de três pontos, em todas as versões.

Preços e Versões da gama do novo hatch

Drive 1.0 – Equipada com motor Firefly 1.0 e transmissão manual de 5 marchas. Nos itens de série, destaque para a direção elétrica progressiva, ar-condicionado, tela de TFT no quadro de instrumentos, duplo airbag, banco do motorista com ajuste de altura, sistema de partida por botão (dispensa o uso da chave), sistema Isofix para fixação de cadeirinhas e vidros dianteiros elétricos. Preço: R$ 46,80 mil. Se o comprador optar pelo sistema multimídia (R$ 1.900,00) o preço passa para R$ 48,79 mil.

Drive 1.3 – O motor utilizado é o 1.3, de até 109, cv acoplado ao câmbio manual. Traz os mesmos itens da versão 1.0 acrescidos de monitoramento da pressão dos pneus, central multimídia de 7 polegadas e sensível ao toque compatível com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto, volante com comandos do rádio e telefone e segunda porta USB para os passageiros do banco traseiro. Preço: R$ 53,90 mil.

Drive 1.3 GSR – É equipada com o mesmo motor 1.3. Mas, nesse caso, ele trabalha em conjunto com a transmissão automatizada GSR (Gear Smart Ride). Essa versão traz, a mais, o controle de tração (TC), o controle eletrônico de estabilidade (ESC) e o sistema Hill-Holder para partidas em rampas. O console central conta com um botão com a função Sport para uma condução mais esportiva. Exitem borboletas (paddles shifts) atrás do volante para trocas manuais de marchas. Também é equipada com vidros elétricos traseiros, retrovisores com comandos elétricos, apoio de braço para o motorista e controle de velocidade de cruzeiro. Preço: R$ 58,90 mil.

Precision 1.8 – Utiliza o motor 1.8 e câmbio manual de 5 marchas. Nos itens de série, acréscimo em relação à versão anterior dos faróis de neblina, lâmpadas diurnas em LED, rodas em liga leve de 15 polegadas e banco traseiro bipartido.  Preço: R$ 61,80 mil.

Precision 1.8 AT6 – Mesmo motor 1.8, mas que trabalha em conjunto com uma transmissão automática de 6 marchas. Acrescenta as borboletas para trocas de marchas, controle de velocidade de cruzeiro, apoio de braço para o motorista e volante revestido em couro. Preço: R$ 67,80 mil.

HGT 1.8 – Essa é a versão esportiva do Argo.  Equipada com motor 1.8 e câmbio manual de 5 marchas.  Na HGT, a tela de TFT no quadro de instrumentos é colorida e de alta definição. A grade dianteira inferior recebe o acabamento vermelho ao qual nos referimos anteriormente. Além disso, traz spoilers no para-choque, moldura preta na parte inferior lateral e na caixa das rodas, ponteira de escapamento esportiva, rodas em liga leve de 16 polegadas e suspensão com calibração mais esportiva. Essa versão traz o acabamento vermelho no painel. Preço: R$ 64,60 mil.

HGT 1.8 AT6 – As fotos que ilustram essa matéria são dessa versão. Mesmo pacote das anteriores acrescido do câmbio automático de 6 marchas e das borboletas no volante. Preço: R$ 70,60 mil.

Opcionalmente, algumas versões podem ser equipadas com airbags laterais para motorista e passageiro do banco dianteiro.

O Fiat Argo já está disponível nas concessionárias da marca. Porém, se o comprador se interessar pela série especial de lançamento Opening Edition (fotos abaixo), limitada a 1 mil unidades, terá que aguardar até o fim de junho. O preço dela não foi informado durante o evento de lançamento.

A expectativa do grupo FCA é comercializar cerca de 5 mil unidades do Argo por ano. O mix de vendas deve ficar da seguinte forma: 75% para as versões Drive (1.0 e 1.3); 10% para a versão Drive GSR; 5% para a versão Precision e 10% para a HGT.

*O jornalista viajou a convite do grupo FCA – Fiat Chrysler Automóveis

 

Fiat lança o hatch compacto Argo

José Oswaldo Costa*

De São Paulo / SP

imagem(1)

A Fiat apresentou, para a imprensa especializada, seu mais novo modelo: o hatch compacto Argo.

Com opção de motores 1.0 (3 cilindros), 1.3 e 1.8, além de câmbio manual, automatizado de 5 marchas ou automático de 6 marchas, a mira está apontada, principalmente, para os seguintes concorrentes: Chevrolet Onix, Hyundai HB20, Volkswagen Fox e Toyota Etios.

imagem

Fotos: Marcos Camargo / FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

imagem(2)

Foto: Studio Cerri / FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

Preços e Versões:

Drive 1.0 – R$46,80 mil*

Drive 1.3 – R$53,90 mil

Drive 1.3 GSR (automatizado) – R$58,90 mil

Precision 1.8 – R$61,80 mil

Precision 1.8 (automático 6 marchas) – R$67,80 mil

HGT 1.8 – R$64,60 mil

HGT 1.8 (automático 6 marchas) – R$70,60 mil

*sem kit multimídia. O kit custa R$1.990,00, o que eleva o valor dessa versão para R$48,79 mil. Para as demais, o kit vem de fábrica.

imagem(3)

Haverá uma versão de lançamento, chamada Opening Edition (fotos que ilustram esse texto), limitada a 1 mil unidades. O preço ainda não foi divulgado e ela chegará às lojas no fim de junho.

imagem(4)

imagem(5)

Fotos (interior): FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

O Argo já está disponível nas concessionárias da marca.

Veja a matéria completa sobre o novo modelo da Fiat no DC Auto (Diário do Comércio) dessa sexta-feira.

*viagem a convite da FCA – Fiat Chrysler Automóveis

Ford F-150 ganha versão especial “Shelby Super Snake” com mais de 760 cv

Da Redação

FordF150SuperSnake-1A Ford F-150, picape mais vendida dos Estados Unidos há 40 anos, ganhou uma nova versão especial para uso urbano, a Shelby Super Snake 2017. Além de motor V8 5.0 turbo de 760 cavalos (750 hp), a superpicape da preparadora Shelby traz suspensão independente tunada e itens de estilo exclusivos.

FordF150SuperSnake-3Com produção limitada a 150 unidades, ela será vendida em distribuidores selecionados da Ford nos Estados Unidos, nas versões 4×2 e 4×4.

As rodas cromadas de 22” destacam as linhas poderosas da F-150 Shelby Super Snake. A carroceria exibe um novo capô com dupla entrada de ar, spoilers dianteiros, saias laterais, grade dianteira em formato colmeia com o emblema da cobra, novo pára-choque traseiro, faixas esportivas centrais e laterais e escapamento Borla com ponteiras duplas cromadas.

FordF150SuperSnake-2O mesmo tema é usado no interior, com emblema nos encostos de cabeça, no painel e nos tapetes. Uma plaqueta de identificação com o número de série atesta a sua originalidade.

SF150-7

Desenvolvida pela Shelby American junto com a Ford e outros parceiros, a nova “Super Snake” tem a grife de Carroll Shelby, pioneiro na preparação de picapes urbanas de alto desempenho. Mais do que estilo e exclusividade, sua proposta é oferecer o que há de melhor em potência, som do motor, estilo e capacidade dinâmica.

“Ela é simplesmente uma picape incrível de dirigir”, diz Vince LaViolette, vice-presidente de Operações da Shelby American. “Usamos a experiência adquirida na construção do Mustang Shelby Super Snake e da F-150 Shelby para criar esta picape urbana sensacional.”

Mais informações da nova F-150 Shelby Super Snake estão disponíveis no site www.Shelby.com.

FordF150SuperSnake-4

Fotos: Shelby American / Ford / Divulgação

Kawasaki lança a nova Z650 ABS no Brasil

Da Redação    (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 19/05/2017)

Vei4 - Kawasaki - Divulgação.jpgA Kawasaki do Brasil acaba de apresentar ao mercado nacional seu mais novo modelo de média cilindrada, lançamento que dá seguimento às políticas de expansão da marca japonesa e atende a uma importante demanda dos consumidores brasileiros.

A conceituada linha Z da Kawasaki agora fica mais completa com a nova Z650 ABS, motocicleta que preenche o seu espaço ao lado da Z300, Z800 e Z1000.

A novidade, apresentada oficialmente na última quarta-feira em Itatiba, interior de São Paulo, traz o que há de mais moderno se tratando de tecnologia e desenvolvimento automotivo e disponibiliza ao mercado brasileiro uma supernaked diferenciada, de porte médio, visual agressivo e que prioriza a agilidade.

Todo o desenvolvimento da nova Z650 ABS foi projetado para oferecer ao piloto maior segurança, conforto, desempenho e potência. ganhar performance e dirigibilidade, a moto teve seu peso total reduzido para 187kg. Isso foi possível graças à utilização de um quadro feito de aço de alta tensão de apenas 15kg.

Kawasaki 2Com menos peso, o modelo ficou mais ágil e veloz. A nova Z650 ABS é impulsionada por um motor bicilíndrico de 649 cm³ de cilindrada, que alcança potência máxima de 68 CV a 8.000 rpm. Projetado, principalmente, para o uso diário no trânsito das cidades, a motorização foi desenvolvida para oferecer maior equilíbrio e torque nas baixas e médias rotações.

E além deste ganho em controle na aceleração, a tecnologia utilizada tornou a moto mais econômica. O tanque de combustível tem de 15 litros de capacidade.

A moto traz uma moderna tecnologia de embreagem, que pode ser configurada entre assistida e deslizante, e um sistema de frenagem com disco duplo em formato margarida tanto na dianteira – de 300 mm de diâmetro – quanto na traseira – com 220 mm.

E como o próprio nome destaca, o lançamento oferece freios com ABS de série. Por se tratar de uma motocicleta de uso, principalmente, urbano, a questão do conforto, e, por consequência, do amortecimento foram muito considerados.

O modelo recebeu garfo dianteiro telescópico de 41mm e suspensão traseira horizontal do tipo back-link com ajuste de pré-carga.

Kawasaki 3

Fotos: Kawasaki do Brasil / Divulgação

Além destas características técnicas que afetam diretamente o desempenho, a Z650 ABS chama a atenção por seu estilo agressivo e por sua forma mais rebaixada e dinâmica, característica que oferece um ganho adicional de pilotagem independente da altura do condutor.

E, por fim, o lançamento traz ainda um painel bastante moderno. Um dos principais destaques é o tacômetro – ou conta-giros – que indica o momento certo para realizar a troca das marchas – isso seguindo uma configuração prévia.

Já entre as demais características, o painel mantém as funções de velocímetro digital, odômetro total e mais dois parciais, marcadores de combustível, de média de consumo e de consumo momentâneo, indicadores da posição de marcha, de temperatura do motor, de temperatura externa e relógio.

São três cores disponíveis para a Z650 ABS, que estará disponível na rede a partir de junho. O preço sugerido é R$ 32,99 mil.

Renault Sandero R.S ganha série limitada

Da Redação      (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 19/05/2017)

Racing Spirit terá 1.500 unidades, produzidas no Paraná. Primeira exibição será em Buenos Aires

Sandero R. S. 2.0 Racing Spirit. Foto: Rodolfo BUHRER / La Imagem / RenaultNascidos nas pistas 119 anos atrás, os carros da Renault representam o casamento de desempenho e tecnologia. Com o DNA da Renault Sport, o Sandero R.S. 2.0 ganha um visual mais esportivo com a nova série limitada batizada de Racing Spirit.

O hot hatch agora traz de série pneus Michelin PS4 associados a rodas de 17 polegadas, com pinças de freio e a parte central pintada em vermelho.

A cor vermelha está também no contorno inferior do para-choque específico com desenho das lâminas em estilo F1, espelhos retrovisores, difusor e nova faixa lateral com o nome da versão.

Por dentro, uma placa numerada, localizada perto do câmbio, identifica o número de série da edição Racing Spirit. O revestimento do teto agora é preto e a cor vermelha está nos aros dos difusores de ar laterais e no contorno do velocímetro, além das costuras e faixas dos bancos.

Sandero R. S. 2.0 Racing Spirit. Foto: Rodolfo BUHRER / La Imagem / RenaultCom acabamento black piano, o painel central e as maçanetas internas dão uma pegada ainda mais esportiva ao interior, destacado pelas cores preta e vermelha.

Desenhado e desenvolvido pela Renault Sport Cars, em conjunto com as equipes do estúdio Renault Design América Latina e do centro Renault Tecnologia Américas, o Sandero R.S. 2.0 é um legítimo esportivo.

Com motor 2.0 aspirado, que entrega 150 cv e 20,9 kgfm com etanol, associado a um câmbio manual de 6 velocidades com relações curtas para maior esportividade, o modelo atinge a velocidade máxima de 202 km/h e vai de 0 a 100 km/h em 8,0 segundos, de acordo com a montadora.

O Renault Sandero R.S. se destaca por sua capacidade de proporcionar sensações esportivas desde o primeiro toque no acelerador, além de muito prazer na utilização diária.

A suspensão esportiva, e exclusiva, associada tanto à direção eletro-hidráulica como ao sistema de freios a disco nas quatro rodas, proporciona bom desempenho, garantindo estabilidade e segurança. O sistema R.S. Drive possibilita a escolha entre três modos de condução: Standard, Sport e Sport+.

Modo Standard: Este é o modo mais seguro para uso diário. O ESP e o ASR ficam ligados. O Modo Standard não exige nenhuma intervenção do motorista, pois sempre é ativado quando o carro é ligado.

Modo Sport: pedal com respostas mais rápidas, ronco do motor mais esportivo, desaceleração mais lenta, marcha lenta aumentada para 950 rpm, permitindo uma condução reativa. O modo Sport é acionado por meio de uma leve pressão no botão R.S., localizado no console central.

Modo Sport+: todos os recursos do modo Sport, além do desligamento do ESP/ASR, permitindo desfrutar ao máximo da condução esportiva, aproveitando plenamente todo o potencial do carro. O modo Sport+ é acionado através de uma longa pressão no botão R.S.

Sandero R. S. 2.0 Racing Spirit. Foto: Rodolfo BUHRER / La Imagem / Renault

Fotos: Rodolfo Buhrer / Renault / Divulgação

Produzida na fábrica da Renault em São José dos Pinhais (PR), a série limitada Sandero R.S. 2.0 Racing Spirit tem preço sugerido de R$66,40 mil e é limitada a 1.500 unidades.

De fábrica, traz, entre outros itens, controles de estabilidade (ESP) e de tração (ASR), assistente de arrancada em subidas (HSA), faróis de rodagem diurna (DRL) em LED, ar-condicionado automático, vidros elétricos dianteiros e traseiros, banco do motorista regulável em altura, piloto automático (controlador e limitador de velocidade), sensores de estacionamento e central multimídia integrada ao painel com tela de 7 polegadas touchscreen.

O Sandero R.S. Racing Spirit será exibido durante o Salão do Automóvel de Buenos Aires, que acontece de 10 a 20 de junho.