Ford lança o novo Cargo 1719 vocacionado para o segmento de bebidas

Da Redação

FordCargo1719 BebidasA Ford Caminhões lançou o Cargo 1719 vocacionado para o segmento de distribuição de bebidas, com preparação especial que facilita a implementação. O novo modelo é resultado de um desenvolvimento conjunto com implementadores e clientes para atender as necessidades desse setor, considerado um dos mais importantes da indústria de caminhões.

 “A volta a esse importante segmento é mais um resultado do novo posicionamento da marca Ford Caminhões, que tem como foco três pilares: serviço, relacionamento e produto. O objetivo é garantir que os clientes tenham seus caminhões sempre rodando e produzindo, com a máxima rentabilidade do equipamento”, destacou Oswaldo Ramos, gerente geral de Vendas e Marketing da Ford Caminhões.

Fácil implementação

Com peso bruto total de 16 toneladas, motor de 189 cv e transmissão de seis marchas, o Cargo 1719 para bebidas vem preparado de fábrica com um conjunto completo de acessórios para implementação com carrocerias rebaixadas compartimentadas, para oito ou dez pallets.

O kit inclui EGP externo (sistema de tratamento dos gases de exaustão), para-choque estreito, feixe de molas curto, chicote ABS e dois cardãs adicionais, além de capa do chassi na área de corte para o rebaixamento.

“O principal diferencial do novo Cargo 1719 para bebidas é a facilidade de implementação. Ele tem a montagem mais simples do mercado, que se traduz em agilidade e economia para o cliente”, comentou Ramos.

Como os demais veículos da marca, o novo caminhão dispõe do programa completo de serviços da Ford Caminhões para garantir a operação e rentabilidade da frota, que inclui os planos de manutenção Ford Service, o sistema de rastreamento e monitoramento FordTrac, a assistência SOS 24 horas e o suporte técnico Disk Ford Caminhões.

FordCargo1719 Bebidas-2

Fotos: Ford Caminhões / Divulgação

Fiat lança a linha 2018 da picape Strada, líder há 17 anos

Da Redação   (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 25/08/2017)

Fiat Strada Hard Working - cabine simples

Foto: Adeildo Silva / Fiat / Divulgação

A Fiat Strada chega renovada em sua linha 2018. Ela passa a contar com uma configuração mais racional nas versões Working e Hard Working, muito focada no trabalho e na utilização comercial do veículo.

Colunas, tecido de teto, maçanetas e puxadores, forro de portas, entre outros itens, foram escurecidos, dando uma aparência de mais limpo por mais tempo ao interior do carro.

Já na versão Adventure, a prioridade ficou por conta da melhoria do conforto, oferecendo mais tecnologia a bordo com a central multimídia de 6,2 polegadas, da Mopar, de série.

A picape conta com seis opções de compra em sua nova gama: Working 1.4 Cabine Simples, Hard Working 1.4 Cabine Simples, Hard Working 1.4 Cabine estendida, Hard Working 1.4 Cabine Dupla, Adventure 1.8 Cabine Estendida e Adventure 1.8 Cabine Dupla.

Além do novo interior escurecido mais adequado ao trabalho e seus itens de série, como computador de bordo, protetor e iluminação de caçamba, entre outros, a versão Working chega ao mercado oferecendo opcionais como protetor de cárter e grade do vidro traseiro, predisposição para rádio, rádio com a conexão USB e ar-quente.

As versões Hard Working trazem os mesmos pacotes da versão de entrada e ainda contam com a nova identificação da versão na traseira, ar-condicionado, direção hidráulica, ajuste de volante, rodas escurecidas, protetor de cárter, entre outros.

Como opcionais, a versão oferece itens como: capota marítima, porta-óculos, soleira das portas com inscrição Hard Working, faróis de neblina, vidros e travas elétricas, janelas traseiras corrediças, sensores de estacionamento traseiro, rádio Connect com CD player, USB e Bluetooth, calotas integrais e rodas de liga leve aro 14 polegadas para cabine dupla.

As versões Adventure 1.8 apresentam a nova central multimídia que vem com TV digital, CD/DVD player, rádio AM/FM, conexão Bluetooth, navegador GPS e câmera traseira de estacionamento.

Como itens de série, contam com tudo que as versões Working e Hard Working já têm, além de outros itens como bússola e inclinômetros, volante em couro com comando de rádio, capota marítima e rodas de liga leve de 16 polegadas. O único opcional é o diferencial Locker.

Preços e versões:

Working 1.4 Cabine Simples – R$47,25 mil

Hard Working 1.4 Cabine Simples – R$ 53,49 mil

Hard Working 1.4 Cabine Estendida – R$ 60,24 mil

Hard Working 1.4 Cabine Dupla – R$ 63,74 mil

Adventure 1.8 Cabine Estendida – R$ 71,99 mil

Adventure 1.8 Cabine Dupla – R$ 75,49 mil

Iveco apresenta o Tector Auto-Shift

Da Redação        (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 25/08/2017)

Câmbio é a grande novidade

Vei1 - Iveco - DivulgaçãoO mercado de semipesados conta com 11 versões da linha Tector, que atendem diversas demandas do transporte, do varejo à construção civil. O modelo é reconhecido por transportadores e motoristas pelo baixo custo operacional, potência e conforto.

 Agora a Iveco, marca da CNH Industrial, apresenta o Tector Auto-Shift, com câmbio automatizado de 10 velocidades e motor N67, FPT Industrial, em três versões: 170E30 4×2, 240E30 6×2 e 310E30 8×2.

“A utilização da transmissão automatizada é uma tendência que começou no segmento de pesados e ganha força, cada vez mais, nos semipesados. O lançamento do veículo propicia que a Iveco amplie a participação de mercado com a já consagrada competitividade da linha Tector”, afirmou Marco Borba, vice-presidente da Iveco para a América Latina.

A categoria de semipesados representa 27% do mercado brasileiro de caminhões. Em 2016, o mercado de veículos comerciais com câmbio automatizado foi de 20% do total dos segmentos 6×2 e 8×2.

O novo produto da montadora, que completa 20 anos no Brasil em 2017, foi projetado para maximizar a operação, aumentando o conforto do motorista. Ele faz isso graças à sua avançada transmissão, que evita possíveis erros nas trocas de marcha, que poderiam ocasionar custos adicionais com combustível ou com o desgaste prematuro de componentes.

Vei3 - Iveco - DivulgaçãoRicardo Barion, diretor de marketing da Iveco para a América Latina, destacou: “Os novos modelos Auto-Shift, com câmbio automatizado e motor N67, dão conta de entregas comerciais menores até operações fora-de-estrada, e atendem os clientes que costumam passar muito tempo dentro do caminhão, uma vez que um motorista chega a fazer de 400 a 800 trocas de marchas por dia, dependendo da aplicação.”

A linha Tector Auto-Shift está disponível em toda a rede da Iveco, que conta com 67 parceiros entre concessionárias e pontos de atendimento.

O Tector Auto-Shift foi submetido a 63 simulações e testes funcionais, rodando mais de 350 mil quilômetros para avaliações. As avaliações foram feitas no Campo de Provas da Iveco e em trechos percorridos em rodovias, serras, vias urbanas, com e sem pavimentação, que colocaram à prova a resistência estrutural do veículo e o desempenho da transmissão Eaton.

O conjunto foi preparado para aproveitar o melhor da transmissão, que tem 10 marchas, aproveitando bem o desempenho do motor, além de possuir uma “super-reduzida”, que garante tranquilidade ao motorista para arrancar em situações adversas, mesmo com o caminhão carregado.

Vei4 - Iveco - DivulgaçãoModos exclusivos A Iveco desenvolveu modos exclusivos para o modelo, que aumentam a eficiência e a segurança da rodagem em diferentes operações:

Pedal do acelerador otimizado: Foi desenvolvido um pedal de acelerador progressivo permitindo que o motorista encontre facilmente a melhor zona de torque de motor – proporcionando então uma condução mais econômica. Esse recurso é útil, especialmente em subidas.

Down Hill: Numa condição de descida suave, sem o uso de freios, o veículo engrena a 10ª marcha automaticamente, mesmo que o motorista não pressione o pedal do acelerador. Isso proporciona mais segurança e redução do consumo de combustível.

Power Auto: É uma espécie de botão “sport”, que permite o veículo aumentar sua velocidade. Esta função é habilitada quando o motorista aciona o botão lateral da alavanca de troca de marchas por três segundos, mudando o tempo de troca de marchas pra chegar o mais rápido possível a 2.500 rpm. Após um minuto a função desabilita automaticamente, possibilitando redução no consumo de combustível.

Auto Coast: Em condições de descida leve, ou em trecho plano, quando o veículo estiver diminuindo sua velocidade e reduzindo as marchas, ao chegar na 5ª marcha a transmissão aciona automaticamente a embreagem deixando o veículo desenvolver de forma segura e confortável para transpor um obstáculo como um quebra-molas, por exemplo. Logo após passar por ele, ao retomar a velocidade do veículo, a marcha correta será acionada sem prejuízos para a performance.

Vei2 - Iveco - Divulgação

Fotos: IVECO / Divulgação

O novo modelo da linha Tector conta, também, com outros recursos:

Kick Down: ao pisar fundo no acelerador, a transmissão reduz uma marcha, aumentando o giro do motor.

Skip Gear: dependendo da carga, velocidade e inclinação da pista, o veículo faz trocas fora da sequência convencional.

Hill Holder: assistente de partida em rampa que mantém o veículo parado por 3 segundos, facilitando o engate da primeira marcha – transição de tirar o pé do freio para o acelerador.

ASR: em condições de baixa aderência o sistema controla as rodas evitando que elas girem em falso.

Modo Manobra: basta que o motorista pressione um pouco o acelerador para o veículo começar a se movimentar com velocidade baixa e constante, sem trancos – útil em diversas aplicações, como doca e posto de combustível.

Motor – A nova versão do Tector utiliza o motor N67, da FPT Industrial. Com seis cilindros, 300 cv de potência máxima e 1050 NM de torque máximo, o propulsor passou por nova calibração que permite trocas de marchas 60% mais rápidas. Isso evita queda nas quedas de rotações, o que melhora o desempenho e a média de consumo.

A FPT Industrial desenvolveu o motor N67 para atender especialmente a nova versão da linha Tector com transmissão automatizada. O propulsor, segundo a FPT, entrega melhor consumo de combustível e mais potência e torque em todas as versões: 170E30 4×2, 240E30 6×2 e 310E30 8×2.

Com o novo câmbio automatizado, quando o motorista pisa fundo no acelerador para fazer uma ultrapassagem, por exemplo, o sistema eletrônico de controle entende a urgência de sua necessidade de força e potência, e comanda a transmissão que reduz uma ou mais marchas, aumentando o giro do motor e entregando maior força para a realização da ultrapassagem.

A nova calibração do motor N67 da FPT Industrial proporciona trocas de marchas mais rápidas, distribuindo melhor o torque e potência, economizando combustível e emitindo menos poluentes (atendendo aos limites do Proconve P7).

Com o desenvolvimento exclusivo, a nova geração do motor alcançou a redução de até 5% de Diesel + Arla, em comparação a concorrência, de acordo com a FPT.

Ficha técnica:

Ciclo: Diesel 6 tempos

 Nº de cilindros: 6 em linha

Cilindrada: 6.7L

Combustível: Diesel

Potência máxima: 300 cv @ 2.200 rpm

Torque máximo: 1050 Nm @ 1250 rpm à 1900 rpm

Diâmetro x Curso: 104 mm x 132 mm

Espaço entre Cilindros: 120 mm

Admissão de ar: Turbocompressor com Aftercooler

Tipo de Turbo: WG – Wastegate

 Taxa de compressão: 17:1

Ordem de Ignição: 1-5-3-6-2-4

Número de Válvulas por Cilindro: 4

Sistema de injeção: Eletrônico Common Rail – Bosch

Tipo de Eixo de Comando: OHV

Capacidade do Cárter: 17L

Sentido de Rotação do Volante: Anti-Horário

Peso Drenado: 510 kg

Emissões: Proconve P7 – Euro V

Sistema: SCR

Honda CRF 1000L Africa Twin é superlativa

Rogério Machado*   (Publicado no Diário do Comércio – 25/08/2017)

Modelo se destaca, em todos os tipo de terrenos, no segmento das Adventure Motorcycles

Vei10 - No caso da Africa Twin tamanho e documento. Um conjunto bem equilibrado com o motor `pronto` para respostas rapidas.

Foto: Honda / Divulgação

As denominações usadas para identificar motocicletas capazes de se dar bem tanto na estrada quanto fora dela não foram suficientes para suportar o avanço da cilindrada e da sofisticação desse tipo de veículo.

Foi necessário cunhar outro nome para as supermotos com uso on-off road, inaugurando outro nicho de mercado, e assim nasceu a Adventure Motorcycle.

Realmente, o nome é apropriado. Nunca se aventurou tanto sobre duas rodas, seja em viagens em terrenos pouco explorados e regiões inóspitas ou mesmo em escapadas que podem dar a volta ao mundo.

Todos querem desbravar esse planeta já bastante ocupado pela raça humana. Durante viagens, me encontro com motociclistas alemães no Canadá, italianos no Marrocos, franceses na Croácia, brasileiros na Terra do Fogo e por aí vai.

Parece que todos querem se aventurar e podemos ver isso através de uma avalanche de blogs e páginas inspiradoras no Facebook, além de portfólios com extensas experiências de vida, indo cada vez mais longe.

Vei11 - Rogério Machado - Bem ambientada nas estradas de Minas.O fato é que BMW, Honda, Yamaha, Ducati, KTM, Triumph, Huskvarna e Suzuki, entre outras, encontraram nesse segmento um terreno fértil para projetos muito interessantes. Uma destas bem-sucedidas motocicletas é a Honda CRF 1000L Africa Twin.

Quando se fala em uma motocicleta com motor de 1000cc, capaz de fazer off-road, as perguntas que vêm à mente dizem respeito a agilidade e manobrabilidade. Como manter estas características com um veículo de grande porte?

Na Africa Twin esse desafio de equilibrar os volumes e o peso foi muito bem resolvido através da adoção de um motor dois cilindros paralelos. Componentes de massa significativa, como a bateria, foram posicionados próximos a eles.

E esta disposição favoreceu a concentração do peso em uma área mais central, resultando em um centro de gravidade relativamente baixo com uma distribuição de peso adequada sobre as rodas.

Isto deixou a moto muito versátil, também, em manobras de baixa velocidade.

O motor com cilindros paralelos contribui com a versatilidade da Africa Twin.Motor – O motor produz 90,2 cv, o que garante um desempenho excelente na superação de obstáculos, aclives acentuados e também na estrada.

A elasticidade é um dos seus pontos altos e a motocicleta responde às solicitações de forma suave, porém vigorosa, o que deixa as manobras mais seguras em todo terreno.

O controle de tração (HSTC) ajuda a domesticar os cavalos e pode ser regulado em três graduações, de acordo com o uso. O controle de vibrações é outro aspecto bem resolvido.

Tanto que no guidão, pedaleiras e assento não se percebe a presença do motor. O câmbio de seis marchas é preciso e bem escalonado, utilizando embreagem multidisco a banho de óleo.

Durante a avaliação, rodando em terreno misto entre estradas de terra e asfalto, a CRF1000L apresentou um consumo de 23 km/l.

Os freios ABS sao excelentes. O traseiro pode ser utilizado em modo convencional.

Fotos: Rogério Machado

Suspensão e freios – A suspensão anterior oferece 230 mm de curso com garfo invertido, enquanto na traseira é monoamortecida (pro-link) com curso de 220 mm. Ambas com possibilidades de regulagem para o peso do piloto e condições do piso.

Respondem muito bem no asfalto ou irregularidades de terreno. Os freios estão muito bem calibrados e apresentam uma resposta positiva mesmo em situações mais críticas. O sistema ABS é absolutamente necessário em qualquer motocicleta e, no caso da Africa Twin, essencial, pela proposta de uso, transmitindo muita segurança.

O piloto pode desativar o traseiro para uso em condições específicas. As rodas raiadas são de alumínio, posterior 18 polegadas e anterior 21 polegadas. Conferem uma ótima rodagem sobre piso irregular. O entre-eixos de 1.574 mm oferece uma grande estabilidade nas estradas.

Ergonomia e conforto garantem o prazer na pilotagem 

O formato do tanque de combustível, bastante estreito na parte posterior, favorece muito as manobras com o piloto em pé. Outro ponto que nos agradou foi a posição do guidão e das pedaleiras.

O assento pode ser regulado em altura com uma variação de 20 mm. A postura é praticamente ereta, transmitindo a sensação de domínio pleno da motocicleta e evitando o cansaço.

O pequeno para-brisa em acrílico tem um papel importante no conforto, criando um ótimo ambiente de pilotagem. Os instrumentos com mostrador digital possuem o fundo preto com as indicações em tom claro, o que favorece a visibilidade e leitura em qualquer velocidade.

Vei13 - O painel digital com fundo preto facilita a leitura

Foto: Honda / Divulgação

Um conjunto de malas está disponível, como opcional, completando o papel estradeiro da CRF1000L.

A opção por uma adventure motorcycle leva a diversas marcas, com diferentes aspectos de desempenho e ergonomia, que resultam na adaptação do piloto à motocicleta e vice-versa, já que muitos sistemas são reguláveis.

Antes de fazer sua escolha, inclua um test drive na Africa Twin. Na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), o preço da Honda CRF 1000L Africa Twin é R$ 66,73 mil.

Vei12 - Rogério Machado - A pintura e acabamentos sao pontos fortes na Africa Twin.

Foto: Rogério Machado

Ficha técnica:

Dimensões (mm): comprimento, 2.334; largura, 932; altura, 1.478; entre eixos, 1.574; distância mínima do solo: 250; altura do assento, 870 max. 850 min.

Peso seco: 212 kg.

Capacidades: tanque combustível 18,8l (reserva 3,6l), Óleo 4,9l (4,1l na troca com filtro)

Chassi: berço duplo.

Suspensões: dianteira Telescópica invertida 230 mm e traseira pro-link de 220 mm ambas ajustáveis.

Freios ABS: dianteiro com disco de 310 mm e traseiro com disco de 256 mm (ABS traseiro pode ser desativado).

Pneus Tubetype: dianteiro 90/90 (roda de alumínio de 21 polegadas) e traseiro 150/70 (roda de alumínio de 18 polegadas).

*Colaborador

Audi lança a segunda geração do Q5

Da Redação      (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 25/08/2017)

Utilitário de luxo, que chegou às concessionárias da marca no início do mês, conta com três versões

Vei15 - Audi Q5 - Rafael Gagliano - Audi - DivulgaçãoA segunda geração do Audi Q5 foi lançada no Brasil e as primeiras unidades começaram a ser entregues, às concessionárias de todo o País, no dia 3 de agosto. O utilitário esportivo é fabricado no México.

“O Q5 é um dos principais lançamentos no Brasil para a Audi neste ano, modelo que sempre fez um enorme sucesso com os nossos clientes. Temos orgulho de oferecer no mercado um produto de extrema qualidade, com as mais avançadas tecnologias e uma alta competitividade em seu segmento”, afirmou Johannes Roscheck, presidente e CEO da Audi do Brasil.

O modelo traz novidades tecnológicas como o painel totalmente digital Audi virtual cockpit e o sistema de condução semiautônomo traffic jam assist – que assume a direção em trânsito congestionado com velocidades de até 65 km/h.

São três versões disponíveis: Attraction, por R$ 244,99 mil; Ambiente, oferecida por R$ 274,99 mil; e Ambition, com preço inicial de R$ 292,99 mil..

Em todas as opções, o novo Q5 é equipado com motor 2.0 TFSI a gasolina, que desenvolve 252 cv de potência e 370 Nm de torque, disponíveis entre 1.600 e 4.500 rpm.

Vei19 - Audi Q5 - Rafael Gagliano - Audi - DivulgaçãoSeus principais refinamentos técnicos são o coletor de exaustão integrado ao cabeçote, o modelo de gerenciamento térmico com válvula rotativa, o sistema de levantamento de válvulas, a válvula de alívio (wastegate) elétrica do turbocompressor e a dupla injeção de combustível.

Sob carga parcial, a injeção indireta no coletor de admissão suplementa a injeção direta FSI.

No quesito desempenho, o SUV chega aos 100 km/h em 6,3 segundos e sua velocidade máxima é de 237 km/h, de acordo com a Audi.

O modelo conta com transmissão S tronic de sete velocidades e dupla embreagem, com trocas feitas por meio da alavanca ou de paddle shifts atrás do volante.

Para maior economia de combustível, o câmbio oferece uma função roda-livre, além de o modelo também contar com o sistema Start-Stop, que desliga o motor quando o SUV está parado como, por exemplo, em um congestionamento.

 Há ainda o sistema de tração integral permanente quattro com tecnologia ultra, que distribui a força para as quatro rodas conforme a necessidade. O sistema desengata o eixo traseiro quando não é necessário e o reativa automaticamente quando exigido.

Esse novo conceito aumenta a eficiência sem reduzir a dinâmica do veículo, mantendo a mesma aderência, controle, estabilidade e segurança.

Com 4,66 metros de comprimento, 1,89 m de largura, 1,66 m de altura e distância entre-eixos de 2,82 m, o Q5 cresceu em relação à geração anterior.

Vei16 - Audi Q5 - Rafael Gagliano - Audi - DivulgaçãoApesar disso, o peso em ordem de marcha foi reduzido em aproximadamente 50 kg, graças à utilização de uma mistura de aços de alta resistência e alumínio que formam a carroceria.

“O primeiro Q5 foi, por muitos anos, o SUV mais vendido de sua categoria. Não foi tarefa fácil desenvolver seu sucessor, mas é precisamente por isso que o modelo é tão excitante”, disse Rupert Stadler, presidente do Conselho Administrativo da Audi AG.

Perfil esportivo – A nova geração do SUV leva para as ruas um perfil mais esportivo. A ampla grade, chamada Singleframe, com moldura domina a dianteira. O Q5 está disponível com faróis Full LED com luzes de setas dinâmicas.

Uma linha de ombro com curvas distintas e com recortes reforçados dão estrutura à lateral do veículo. Os arcos das rodas são pronunciados.

Assim como na dianteira, linhas horizontais na traseira transmitem uma imagem de largura. As lanternas com luzes direcionais dinâmicas são de série na versão Ambition.

A tampa traseira envolve as colunas C – característica típica dos modelos da família Q. Um difusor de ar integra as saídas de escapamento.

O novo Q5 também se destaca em sua categoria em termos de aerodinâmica. O modelo possui um coeficiente de arrasto de 0.30, graças ao teto aerodinamicamente otimizado, informou a Audi.

O nível de ruído é baixo, e as vibrações não interferem no alto conforto – o SUV proporciona a melhor acústica interna de sua categoria ao motorista e aos passageiros, segundo a montadora.

Vei17 - Audi Q5 - Audi - DivulgaçãoInterior – O interior oferece bastante espaço para cinco ocupantes. Um novo conceito de linha de equipamentos oferece aos clientes uma vasta seleção de cores e materiais.

O novo ar-condicionado de três zonas está disponível nas versões Ambiente e Ambition. O volante multifuncional de três raios é de série para todas as versões.

O banco traseiro é tripartido e traz ajuste do ângulo de encosto. Dependendo da posição do assento, o compartimento de bagagem varia de 550 a 610 litros, 10 litros a mais que na geração anterior. Com o banco traseiro rebatido, o volume aumenta para 1.550 litros.

O carregamento do porta-malas é simplificado por soluções modernas, como a abertura e o fechamento elétricos, com sistema hands-free (a partir da versão Ambiente).

O quadro de instrumentos digital (Audi virtual cockpit) é de série nas versões Ambiente e Ambition, apresentando gráficos brilhantes em sua tela de alta resolução de 12,3 polegadas.

Vei18 - Audi Q5 - Rafael Gagliano - Audi - DivulgaçãoO motorista pode escolher dois pontos de vista – uma versão clássica com grandes indicadores circulares (velocímetro e conta-giros) ou uma versão progressiva na qual o mapa de navegação, ou listas, é predominante.

Além dos sistemas de entretenimento e informação, o MMI plus, com navegação, tem tela de 8,3 polegadas e botão rotativo com touchpad integrado, que reconhece letras escritas à mão, bem como gestos familiares para consumidores familiarizados com eletrônicos, como o gesto para dar zoom.

A lógica de operação do sistema MMI é baseada na hierarquia linear usada nos smartphones atualmente, oferecendo características como busca inteligente de texto.

A nova função de controle de voz também reconhece aspectos usados na linguagem coloquial. Como terceiro nível operacional está o volante multifuncional.

Para se conectar a internet, o usuário deve inserir um cartão SIM de qualquer operadora no sistema MMI. Recursos como o Google Street View, por exemplo, podem ser visualizados em todas as perspectivas, além de importar os resultados de buscas para o veículo.

AQ5_161006_197403_MDB-42934_preview

Fotos: Rafael Gagliano / Audi AG / Divulgação

Sistemas de assistência são destaque

Com seus sistemas de assistência ao motorista, o novo Q5 apresenta uma ampla variedade de recursos de alta tecnologia. Em termos de inteligência, os sistemas representam um passo adiante em termos de condução autônoma, como o traffic jam assist – disponível no pacote opcional Assistance Tour – que assume a direção em trânsito congestionado com velocidades de até 65 km/h.

Além dele, outro sistema de assistência presente é o active lane assist, que ajuda a manter o carro em sua faixa.

Alertas avisam o motorista quando a distância para outro veículo ultrapassa os limites, para que a troca de faixa seja feita com segurança. Há ainda Assistente de Tráfego Reverso, side assist, exit warning assist, disponíveis no pacote Audi Side Assist.

Desde a versão de entrada Attraction, o novo Q5 traz uma extensa lista de equipamentos de série.

Entre os destaques estão sistema Audi drive select, ar-condicionado automático, bancos dianteiros com ajuste lombar, computador de bordo com display colorido, controle de cruzeiro com limitador de velocidade, sensor de luz e chuva, volante multifuncional, sistema de monitoramento dos pneus, faróis com ajuste automático de altura, auto hold, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro, câmera de ré, Audi smartphone Interface, Audi connect e sistema de navegação.

A versão Ambiente acrescenta a esse pacote ar-condicionado de três zonas, bancos dianteiros esportivos e com memória para o do motorista, painel digital, teto solar panorâmico, porta-malas com abertura e fechamento elétricos e sistema hands free, assistente de estacionamento e ignição por botão.

Já a Ambition traz ainda pacote de luzes internas customizáveis, faróis Full LED, lanternas em LED com indicação dinâmica, assistente de farol alto, frisos decorativos e longarina de teto pretos.

Os opcionais, disponíveis, apenas para a versão topo de linha, são compostos pelos pacotes Audi Side Assist, com exit warning, assistente de Tráfego Reverso e Assistance Tour, com controle de cruzeiro adaptativo, assistente de mudança de faixa e traffic jam assist.

Seis modos de condução podem ser selecionados pelo motorista: off-road, comfort, efficiency, dynamics, auto e individual.

 

Triumph BH reunirá motociclistas para três dias de experiência com a marca

Da Redação

TRX DAYS! I Home - http___www.triumphexperience.com.br_trxdays_A Triumph BH promoverá, de 25 a 27 de agosto, em Belo Horizonte, o evento nacional Triumph Experience Days (TRX Days) e Triumph Service BH. Serão três dias intensos de atividades relacionadas ao universo da pilotagem de motocicletas.

Os participantes terão todo o apoio da equipe de pilotos profissionais da Triumph Brasil e estrutura da Triumph BH em Belo Horizonte e região. Haverá, ainda, uma edição do Café com Rock, com música ao vivo e espaço Food Truck.

No sábado (26), no endereço da concessionária na Av. Barão Homem de Melo, haverá palestra sobre técnicas de pilotagem, aberta ao público e ações de test-ride. Por meio da campanha Triumph Service, motociclistas terão a oportunidade de cuidar de sua segurança e de sua moto Triumph, gastando menos e ainda podendo ganhar a troca de óleo. Os descontos em peças, roupas e acessórios serão de 10% a 50%.

“Será um dia dedicado a ações promocionais em peças, acessórios e serviços, além de entretenimento e informação com especialistas da marca. A cada R$500 em compras de roupas, peças ou acessórios, o cliente vai ganhar a troca de óleo da sua Triumph, grátis”, explicou o gerente comercial da Triumph BH, Daniel Cunha.

Cursos e Rides

Na sexta, dia 25, na Triumph BH, os inscritos participarão do curso de mecânica básica para viagens. No curso, os alunos aprenderão a planejar a viagem, preparar a moto, além de exercícios práticos de mecânica básica.

Palestrante Pablo BerardiO curso, que foi aberto para clientes de todas as marcas, terá carga horária de 8 horas e certificado de conclusão. Ainda na sexta, acontece o Night Ride com passeio urbano noturno para os pilotos de motos clássicas, que percorrerão as ruas de BH e participarão de workshop sobre técnicas de pilotagem na cafeteria Mocca Coffee & Meals.

No sábado, dia 26 de agosto, das 9h às 18h, os motociclistas inscritos participam do curso Off Road no circuito Trilhas da Serra, em Santa Luzia. O curso foi desenvolvido para que os pilotos aprendam técnicas essenciais fora de estrada.

Eles passarão por diversas simulações, idênticas às condições encontradas em um ambiente remoto, tais como cascalho, areia, “ripio”, erosões e lama. Exercícios práticos de “contraesterço”, visão correta na pilotagem, saídas rápidas em retas e subidas, entre outros tópicos, completam o curso.

No último dia, domingo, 27 de agosto, das 9h às 18h, no Megaspace, em Santa Luzia, será a vez do curso On Road. Nesse curso, os participantes aprenderão questões fundamentais para a segurança e máximo desempenho do motociclista, como direção defensiva, controle em baixa velocidade, desvios de emergência e muito mais.

Triumph-Riding-Experience-7

Imagens: Triumph BH / Divulgação

O curso conta com a presença de dois instrutores que atendem a todos os níveis de motociclistas, personalizando os exercícios para os diferentes níveis de alunos.

Informações: (31) 3297-1000

BMW Motorsport apresenta o novo M5

Da Redação

P90272991_highRes_the-new-bmw-m5-08-20A BMW Motorsport apresentou o novo M5, que combina o luxo de um sedã de quatro portas com a esportividade das pistas.

P90273002_highRes_the-new-bmw-m5-08-20Construído com peças em fibra de carbono e alumínio, o modelo traz propulsor M TwinPower Turbo 4.4 litros V8 biturbo de 600 cv (entre 5.600 e 6.700 rpm) e torque de 76,47 kgfm.

P90273022_highRes_the-new-bmw-m5-08-20Ao lado da transmissão automática M Steptronic de oito velocidades, o conjunto leva o sedã de 0 a 100 km/h em apenas 3,4 segundos e à velocidade máxima, limitada eletronicamente, de 250 km/h (305 km/h com o pacote opcional M Driver).

P90272982_highRes_the-new-bmw-m5-08-20Adotada pela primeira vez no modelo, a tração integral xDrive traz uma dinâmica de condução mais aprimorada e maior praticidade no dia a dia, em todas condições de uso.

P90273001_highRes_the-new-bmw-m5-08-20Há diferentes modos de condução, como Comfort, Sport e Sport Plus. Na cabine, dois botões vermelhos no volante (M1 e M2) podem ser usados para armazenar as preferências do motorista em relação a motor, transmissão, suspensão e Head-Up-Display.

P90273004_highRes_the-new-bmw-m5-08-20O modelo começa a ser vendido ano que vem na Europa e terá uma edição especial de lançamento limitada a 400 unidades.

P90273011_highRes_the-new-bmw-m5-08-20

P90273007_highRes_the-new-bmw-m5-08-20

Fotos: BMW Group / Divulgação