Peugeot lança a nova geração do 3008

José Oswaldo Costa*   (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 30/06/2017)

do Rio de Janeiro / RJ

Agora denominado como SUV, modelo passou por profundas mudanças no exterior e no interior

Vei22O Peugeot 3008, ainda quando era denominado pela montadora como um crossover, vendeu no ano passado 153 unidades. Isso dá uma média de cerca de 13 unidades/mês. Os números são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Lançando a nova geração no Brasil, a montadora passa a designá-lo como um utilitário esportivo (SUV). Nada que mude a situação no que diz respeito ao segmento uma vez que, no País, tanto SUV quanto crossover disputam o mesmo nicho de mercado.

O que muda é a ambição da Peugeot. E muito. Com o novo 3008 o objetivo é vender, nada mais, nada menos, do que 250 unidades/mês. Alcançá-lo significa vender 3 mil unidades por ano. Caso ocorra, será um enorme salto para o modelo.

Qualidades para isso ele tem, e muitas. Primeiramente, o design. O novo 3008 não passa despercebido em lugar algum. O SUV ficou muito bonito e elegante. E se encontra no design a explicação da montadora para sua “transformação” em utilitário esportivo.

Agora, o modelo conta com dois volumes bem definidos, com a dianteira se destacando em relação ao habitáculo. Anteriormente, o desenho remetia a um volume único, característica dos crossovers.

Vei24Outra justificativa para denominá-lo de SUV está nos números que o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) exige para os ângulos de ataque e saída, para a altura do carro e para a distância do carro em relação ao solo. Como atende tais parâmetros, o 3008 pode ser chamado de utilitário esportivo.

A frente está mais verticalizada e o capô é longo e horizontal. A grade é ampla e traz facetas cromadas. O para-choque volumoso, com pegada esportiva, invade os faróis. Esses são bem afinados e elegantes.

Na traseira, destaque para o novo conjunto de lanternas (em LED), unidas por uma régua em preto brilhante que invade as laterais. O conjunto passa a imagem de uma máscara. Diferente, bonito e inovador.

A linha de cintura está mais larga e a proporção entre a carroceria e as superfícies envidraçadas aumentou. Completam o visual lateral as belas rodas diamantadas de 19 polegadas.

Vei23O interior também foi totalmente modificado. O modelo passa a adotar o mesmo tipo de painel (i-Cockpit) que estreou aqui no hatch 208. O quadro de instrumentos fica em posição mais elevada em relação ao volante.

Volante, aliás, que passa a adotar o mesmo raio diminuto do compacto, o que torna a condução muito prazerosa. A diferença é que, além da base reta, o topo também passa a ser reto, facilitando a leitura dos instrumentos.

Outra diferença em relação ao 208 é que o quadro de instrumentos adotado no SUV é totalmente digital e configurável (com quatro modos de visualização). Ele conta com uma tela 12,3 polegadas. Acima das saídas centrais de ar fica localizada a tela do sistema multimídia.

Ela é do tipo touchscreen, tem 8 polegadas e foi posicionada como um tablet. Botões posicionados como teclas de piano, abaixo das saídas de ar centrais – de muito bom gosto – reúnem as principais funções: rádio, climatização, parâmetros do veículo, telefone e aplicativos móveis.

Vei25

Vei26Um destaque no conforto são os bancos dianteiros, que são equipados com massageador – são oito bolsas de ar espalhadas nos encostos proporcionando cinco tipos de massagens diferentes. Muito útil em viagens mais longas.

Os materiais empregados no interior continuam oferecendo o “DNA” da Peugeot com duas características que saltam aos olhos: qualidade e requinte. Poucas montadoras no Brasil oferecem um acabamento interno no (alto) nível da francesa.

Por fim, o 3008 oferece um amplo teto solar panorâmico, que apresenta abertura automática, além de uma novidade entre os utilitários esportivos: carregamento do aparelho celular por indução. Obviamente, para os modelos de aparelho que permitem esse tipo de recarga.

Powertrain – Se diz popularmente que “em time que está ganhando, não se mexe”. Talvez seja por isso que a Peugeot optou por permanecer com os mesmos motor e câmbio da geração anterior. Afinal, por que alterar um conjunto tão moderno e eficiente?

Por esse motivo, o 3008 continua oferecendo o ótimo motor 1.6 THP (turbo), capaz de render 165 cv, trabalhando em conjunto com um câmbio automático de seis marchas. Existe a opção por trocas manuais através de paddle shifts localizados atrás do volante.

De acordo com a Peugeot, esse powertrain leva o modelo a obter os seguintes números de consumo: 9,4 km/l na cidade e 9,6 km/l na estrada.

Ainda segundo a montadora, o 3008 recebeu 5 estrelas nos testes de segurança realizados pelo respeitado instituto EuroNCAP. Destaque para os seis airbags e para os controles de tração e estabilidade.

Vei27

Fotos: Peugeot / Divulgação

O preço sugerido de lançamento é R$135,99 mil. A montadora informou que o 3008 chega às concessionárias da marca no fim do mês de julho.

Na apresentação para a imprensa especializada, os executivos da montadora informaram que entendem que o modelo reúne requisitos suficientes para enfrentar diferentes tipos de concorrentes.

Dessa forma, eles destacaram os seguintes modelos: Hyundai Tucson, Kia Sportage, Honda CR-V, Volkswagen Tiguan, Jeep Compass e Audi Q3.

*O jornalista viajou a convite da Peugeot