Honda Civic EXL quer encarar o líder

José Oswaldo Costa   (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 13/01/2017)

Décima geração do sedan médio oferece pacote completo, câmbio CVT e motor 2.0 16V aperfeiçoado

GEDSC DIGITAL CAMERAA décima geração do Honda Civic foi lançada no Brasil no fim do mês de julho do ano passado. A missão que lhe foi designada não é das mais simples: desbancar da liderança, dentro do segmento de sedans médios, o sucesso de vendas do Toyota Corolla.

Entre setembro (primeiro mês “cheio” de comercialização do modelo) e dezembro de 2016, o Civic emplacou 10.970 unidades, ou seja, uma média mensal de cerca de 2.743 unidades. Bem perto das 3 mil unidades/mês que a montadora anunciou, como objetivo, na sua apresentação.

No acumulado do ano, contando com a antiga geração, o modelo emplacou 20.857 unidades (1.738 unidades/mês), o que lhe garantiu a segunda colocação no segmento. No ranking nacional, lhe coube a 28ª posição geral entre os mais vendidos.

Porém, ficou a “anos-luz” do Corolla. O sedan da Toyota vendeu, em 2016, nada menos que 64.740 unidades, ou seja, cerca de 5.395 unidades/mês. Esses números garantiram, com folga, a liderança do segmento e a honrosa 5ª colocação no ranking nacional.

Na 3ª colocação entre os sedans médios ficou o Chevrolet Cruze com 12.064 unidades emplacadas em 2016 (cerca de 1.738 unidades/mês).

O ano novo ainda está muito no início mas, até ontem, o quadro não mostrou alteração. O Toyota Corolla aparece na 4ª colocação geral no mês de janeiro, com 1.760 unidades vendidas. O Honda Civic está na 23ª colocação geral com 651 emplacamentos.

O Cruze vendeu 406 unidades até ontem (32ª posição geral). Os números são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

GEDSC DIGITAL CAMERADC Auto teve a oportunidade de avaliar a versão intermediária do novo Honda Civic, a EXL. Essa versão não é equipada com aquela que, tirando o novo design, talvez seja a maior novidade do modelo: o motor turbo. Esse propulsor está reservado somente para versão Touring, que é a topo de linha.

O Civic EXL apresenta o já conhecido motor 2.0, que passou por melhorias, capaz de render 150/155 cv (gasolina/etanol). A novidade fica por conta da adoção do câmbio CVT, que simula 7 marchas e traz a opção por trocas manuais através de “borboletas” atrás do volante.

Não se engane. Esse câmbio não acarreta em perda de desempenho, como alguns imaginam. Isso é coisa do passado, reveja seus conceitos. Além de não comprometer o desempenho, oferece uma bem-vinda economia de combustível.

O CVT oferece opção esporte, bastando colocar a alavanca na posição S (logo após a posição Drive). Dessa forma, as trocas de marchas são feitas em rotações mais elevadas. Não custa lembrar que é um câmbio continuamente variável, ou seja, essas mudanças são simuladas.

Se o condutor optar pela economia de combustível, como no carregado trânsito urbano, existe a opção pelo modo econômico (Econ), ativado por meio de botão localizado no console central.

Rodando, o sedan mostra bom acerto do conjunto da suspensão para o precário revestimento de asfalto das nossas ruas e estradas. Ponto para os engenheiros da Honda, que optaram por uma suspensão traseira do tipo multilink, capaz de filtrar muito bem as imperfeições, trazendo conforto, e oferecendo uma boa estabilidade para o carro.

Outra característica agradável, e proveniente de outras gerações do modelo, é a posição dos bancos dianteiros mais rentes ao piso, muito boa para dirigi-lo, principalmente, em curvas de alta velocidade. Com certeza, é algo que também divide opiniões.

Ainda mais em um momento em que a predominância no mercado é de modelos que oferecem uma posição mais elevada, algo que satisfaz principalmente – mas não exclusivamente – o público feminino.

Design – A 10ª geração do Civic mudou bastante no que diz respeito a desenho, principalmente, na traseira. E talvez aí esteja o problema refletido nos números de vendas. Durante o período em que estivemos com o modelo, as opiniões sobre sua beleza ficaram divididas, com uma maior porcentagem para aqueles que não gostaram da nova traseira, achando-a por demais exagerada, até mesmo, extravagante.

GEDSC DIGITAL CAMERA

Fotos: José Oswaldo Costa

Nos chamou a atenção uma pessoa que disse: “Parece uma traseira com lanternas da Volvo, mas com um desenho mal resolvido”. Realmente, existe certa semelhança com alguns modelos da marca sueca. Porém, beleza é algo muito subjetivo e particular e, claro, encontramos outras pessoas que consideraram o novo Civic muito bonito, moderno e com um desenho mais esportivo.

A frente encontrou menos resistência entre as pessoas com as quais conversamos, obtendo uma maior receptividade. Chamam atenção os faróis estreitos e a barra cromada (aonde se localiza o logotipo da Honda) que se estende por cima deles.

Novo interior agrada pela qualidade

Como é característica da Honda, o interior do novo Civic é bem-acabado, utilizando materiais de qualidade e agradáveis ao toque. O couro predomina, sendo o revestimento dos bancos, painéis das portas e do volante multifuncional. Painel, console central e volante possuem partes com um bonito acabamento cromado.

O quadro de instrumentos foi totalmente modificado. O desenho com velocímetro e alguns mostradores em posição elevada em relação ao volante, e separada do conta-giros (em posição inferior), foi definitivamente abandonado. Agora, todos os instrumentos estão acomodados em uma peça única e mais tradicional, de bom gosto e com mostradores digitais.

vei4-honda-divulgacaoCinco pessoas podem viajar no modelo confortavelmente, mas com a presença do ressalto central do piso, o ideal é que sejam quatro ocupantes. Todos contam com encosto para a cabeça e cinto de segurança de três pontos.

Dentre outros, o Honda Civic EXL é equipado com seis airbags (frontais, laterais e do tipo cortina), controles de estabilidade e tração, sistema de vetorização de torque, sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis, assistente de partidas em rampas, faróis de neblina, câmera de ré, ar-condicionado digital de duas zonas, direção eletricamente assistida, rodas em liga leve de 17 polegadas, freio de estacionamento elétrico, banco do motorista com ajuste de altura, volante multifuncional com ajuste de altura e profundidade, “borboletas” para trocas de marchas manuais e sistema multimídia sensível ao toque com tela de 7 polegadas (rádio, telefonia, GPS e sistemas CarPlay e Android Auto).

vei3-honda-divulgacao

Fotos: Divulgação / Honda

Essa versão não oferece opcionais. Uma ausência percebida por nós durante a avaliação foram os sensores de estacionamento dianteiros e traseiros. A câmera de ré atenua o problema, mas o ideal é que ela trabalhe em conjunto com os sensores. Na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) o preço do Honda Civic 2.0 16V EXL é R$ 107 mil.

Ficha Técnica:

✔ Velocidade máxima — 195 km/h (etanol)

✔ 0 a 100 km/h — 10,9 segundos (etanol)

✔ Potência — 150/155 cv (gasolina/etanol)

✔ Consumo médio gasolina — 10,3 km/l (cidade) e 12,6 km/l (estrada)

✔ Consumo médio etanol — 7,1 km/l (cidade) e 8,7 km/l (estrada)

✔ Distância entre eixos —2,70 metros

✔ Comprimento — 4,64 metros

✔ Largura — 1,80 metro

✔ Altura — 1,43 metro

✔ Capacidade do porta-malas — 519 litros

✔ Capacidade do tanque — 56 litros

✔ Pneus/ Rodas — 215/50 R17 / Liga leve 17 polegadas

GEDSC DIGITAL CAMERA

Foto: José Oswaldo Costa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s