Montadoras apresentam novidades no LA Auto Show

Rogério Machado* (Publicado no Diário do Comércio – 02/12/2016)

de Los Angeles

vei1-rogerio-machadoO Salão do Automóvel de Los Angeles (LA Auto Show), nos Estados Unidos, acontece desde 1907 e tem um significado importante para os fabricantes no mundo todo. Na Califórnia estão concentrados grandes negócios e o parque circulante é gigantesco.

Para se ter uma ideia, circulam no Brasil cerca de 50 milhões de carros, enquanto aqui são 30 milhões. Estes números mostram que o mercado californiano representa muito e daí a importância de cada marca ter seus produtos aprovados nesse evento.

Este ano as SUVs foram o modelo em evidência e as novidades atenderam a praticamente todas as faixas do mercado. Podemos perceber certa desaceleração do crescimento das opções de propulsão híbrida e elétrica com relativamente poucos modelos novos, ou propostas, para fugir da dependência dos combustíveis fósseis.

Esta queda numérica não significou retardo científico. Montadoras e fornecedores elevaram a qualidade das soluções apresentadas provando que mantém os objetivos nas novas tecnologias. Nesse aspecto, o preço baixo da gasolina nos postos é um fator fundamental que não motiva a busca de elétricos. Além disso, existe no ar a incerteza de todos quanto à próxima gestão presidencial já que o candidato eleito, Donald Trump, deixou dúvidas sobre o seu compromisso com a redução de CO2 e isto pode desaquecer ainda mais o quadro no futuro.

Finalmente o sedan Alfa Romeo Giulia chega às revendas

A Alfa Romeo expôs o sedan Giulia, que já havia sido apresentado à imprensa, e cujo lançamento sofreu diversos atrasos. Parece que, agora, deve estar finalmente disponível nas concessionárias. O sedan apresenta um visual muito interessante com alguma convergência de formas para as marcas alemãs, porém, mantendo sua identidade com o grande triângulo dominando a parte anterior.

vei2-alfa-romeo-giulia-rogerio-machado

Alfa Romeo Giulia

A Giulia é equipada com motor quatro cilindros turbo de 2 litros Multiair de 280 hp. A tração é traseira ou, opcionalmente, integral. Na versão Quadrifoglio, mais atrativa para os entusiastas, recebe motor biturbo V-6 de 2,9 litros com 505 hp (baseado no motor da Ferrari California T com dois cilindros a menos) e a tração é somente traseira.

Assim como nas demais versões, a Alfa Romeo reduziu bastante o peso da nova família e para isso recorreu ao uso de alumínio e fibra de carbono em alguns pontos da carroceria. A suspensão também recebeu componentes em alumínio e o eixo cardan é de fibra de carbono fabricado pela japonesa Hitachi. Ele é 40% mais leve que um eixo convencional. Seu alvo são os clientes das marcas alemãs Audi, Mercedes e BMW.

 Stelvio – No mesmo estande foi apresentado o SUV Stelvio. A estrela da festa é o primeiro utilitário da marca italiana e está disponível em três versões. Tem o Stelvio e o Stelvio Ti (quatro cilindros turbo de dois litros com 280 hp).

vei3-alfa-romeo-stelvio-quadrifoglio-rogerio-machado

Alfa Romeo Stelvio

Além deles, a terceira versão, o esportivo Stelvio Quadrifoglio foi o centro das atenções. O motor V-6 de 2,9 litros com 505 hp (torque de 61,25kgm) é o mesmo da Giulia Quadrifoglio, mas toda a família Stelvio oferece a tração nas quatro rodas de série e diferencial com vetorização de torque que permite a dosagem da força para cada roda, individualmente, em tempo real. O SUV é realmente belo e suas linhas equilibradas revelam a esportividade da marca.

Jaguar I-Pace, o primeiro SUV elétrico da montadora britânica

vei4-jaguar-i-pace-rogerio-machado

Jaguar I-Pace

Outro SUV que despertava curiosidade era o conceito da Jaguar,o I-Pace. Ele assume a posição de ser o primeiro utilitário totalmente elétrico da marca e aponta para os caminhos futuros da montadora de origem britânica e que, hoje, pertence ao grupo indiano Tata.

Ian Callum, diretor de design da Jaguar, fez questão de enfatizar que: “Este não é apenas um conceito. É uma antecipação de um carro de produção de cinco lugares que estará na estrada em 2018.”

A Jaguar deu liberdade ao departamento de engenharia para desenvolver algo novo e o resultado foi um conjunto pensado para a motorização elétrica e, não, uma adaptação de uma plataforma existente.

O veículo possui baterias Litio-Ion. O baixo peso específico do lítio faz com que ele leve vantagem sobre todas as outras baterias em aplicação na atualidade e praticamente todos os elétricos seguem esse caminho.

Seu potencial eletroquímico também é excelente, mas requer cuidados quanto à temperatura. Por isso, as baterias do I-Pace são refrigeradas a água e tem a capacidade de 90 Kwh. O calor gerado é usado para aquecimento do habitáculo.

São dois motores do tipo de imã permanente (PMAC – Permanent Magnet AC) com muito mais eficiência que os motores convencionais. Cada um deles é ligado a um eixo, produzindo 200 cavalos.

As baterias podem levar o I-Pace a percorrer 354 km até a próxima recarga, cujo ciclo leva 90 minutos. Toda esta tecnologia está ancorada a um acabamento sofisticado, típico da Jaguar, com interior em couro, revestimentos amadeirados e alumínio nas áreas de contato.

vei5-jaguar-i-pace-rogerio-machado

Jaguar I-Pace

Utilitários esportivos para todos

Embora os SUV`s da Alfa Romeo e da Jaguar tenham roubado a cena, outros representantes desse segmento não ficaram muito atrás. A Mazda, com o novo CX-5, refrescou um modelo que é responsável por nada menos do que 25% das vendas globais da empresa japonesa. Ele será oferecido, também, na versão diesel.

vei6-mazda-cx-5-rogerio-machado

Mazda CX-5

A Toyota, com o C-HR, usou a força da marca para buscar a atenção dos consumidores de SUVs compactos. Na Subaru, o conceito Viziv-7 marca a entrada da empresa no mercado de utilitários esportivos grandes, chamados aqui de full-size, com venda prevista a partir de 2018.

A Volkswagen apresentou o SUV médio Atlas que, de médio, só tem a classificação. O modelo busca reparar o estrago que o escândalo das emissões causou na companhia neste ano.

vei7-volkswagen-atlas-rogerio-machado

VW Atlas

A Ford lançou o Ecosport, que já enche as ruas do Brasil, a opção da montadora para brigar pelo mercado de utilitários subcompactos nos EUA. Para nós, o destaque é a ausência do estepe, substituído por um compressor de emergência.

Na Jeep se destacava o novo Compass, que fez sua avant-première no Brasil, que chega bem recebido pelas formas que evidenciam sua inspiração nas linhas do Grand Cherokee. Ele tem tudo para ampliar o sucesso do grupo FCA (Fiat Chrysler Automobiles) com a Jeep.

vei8-jeep-compass-rogerio-machado

Jeep Compass

Fotos: Rogério Machado

*Colaborador

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s