Volvo 144, primeiro modelo da marca sueca a superar 1 milhão de unidades vendidas, completa 50 anos

Da Redação

Volvo 142

Um dos veículos mais emblemáticos da Volvo Cars completa 50 anos de história. E as curiosidades do primeiro modelo da marca a atingir mais de um milhão de carros fabricados começou já em 17 de agosto de 1966, data de sua apresentação.

Os carros utilizados no show em Gotemburgo foram colocados no local na noite anterior, escondidos dentro de grandes caixas de madeira. Naturalmente, o procedimento tinha que ser realizado com a maior discrição possível, mas isso ficou difícil em razão de uma grande caçada a dois assassinos de policiais. Um alerta em âmbito nacional foi emitido e na hora em que as caixas de madeira estavam sendo içadas para dentro das salas de reunião, a polícia foi alertada que ambos os fugitivos poderiam estar no cinema, ao lado, que teve que ser evacuado… Quase quatrocentos jornalistas estavam presentes nas salas de reunião no distrito de Lorensberg, centro de Gotemburgo. O novo Volvo 144 estava prestes ser apresentado, revelado com a elevação de uma parede atrás da qual aguardavam três modelos pré-série. Rumores sobre o novo veículo sueco circulavam há bastante tempo e, o que a imprensa finalmente viu, era um veículo austero e moderno. Simultaneamente à apresentação, o 144 era também revelado nas cidades de Oslo, Copenhague e Helsinque.

Em junho de 1960, a Volvo tomou a decisão final quanto às diretrizes básicas do novo automóvel. O P660, como o projeto foi designado, seria maior que o Amazon, mas com a mesma classe de peso e preço. Deveria cumprir exigências rígidas de segurança e transportar quatro ou cinco pessoas confortavelmente. Além disso, o automóvel teria a mesma distância entre-eixos que os seus antecessores, o PV 544 e o Amazon. Ao contrário de quando o Amazon foi desenvolvido, várias versões diferentes de chassi foram planejadas desde o início do projeto.

Volvo 142

Com a série 140, a Volvo introduziu um esquema de nomes no qual o primeiro dígito designava a série do modelo, o segundo dígito o número de cilindros e o terceiro dígito, o número de portas.

A produção em massa da série 144 começou dois dias depois da apresentação, em 19 de agosto de 1966. Um ano depois, o modelo 142, de duas portas, foi lançado e, em 1968, a produção do 145 começou. Um veículo muito próximo era o 164, que chegou ao mercado em 1969. Ele compartilhava com a série 140 muitos componentes do chassi, mas a distância entre-eixos foi estendida em 10 cm e a frente ficou mais comprida para acomodar o motor B30, de seis cilindros em linha. Mais uma versão de chassi foi lançada em 1970. Era o espaçoso transportador de cargas Volvo 145 Express, que tinha o teto elevado a partir da coluna B para trás.

O designer-chefe Jan Wilsgaard também estava por trás das linhas elegantes do Amazon e, apesar as diferenças, pode se ver semelhanças entre os modelos. Havia um forte desejo de ter o desenho da entrada de ar frontal que lembrava o do Amazon. As laterais que alargaram as portas abaixo das janelas também eram semelhante ao do Amazon, embora no 144 essa característica fosse ainda mais destacada. Como o Amazon, o 142 e o 144 tiveram luzes traseiras verticais.

A série 140 incluía diversos avanços importantes no que diz respeito à segurança, tanto passiva como ativa. O chassi estava extremamente resistente à torção e estava equipado com zonas de deformação e santantônio. O sistema de frenagem consistia em freios a disco tanto dianteiro como traseiro, junto com um sistema de circuito duplo com circuitos hidráulicos duplos dianteiros. Isso fornecia repartição tripla dos circuitos para que, se houvesse falha num circuito, ainda funcionariam os dois freios na frente e um atrás. Além disso, haviam válvulas redutoras para evitar que as rodas travassem durante uma frenagem muito forte, uma solução usada primeiro pela Volvo. Uma coluna de direção dividida e um painel com estrutura de proteção contra colisão eram outros destaques de segurança. Mais tarde, a série 140 também ficou equipada com encostos de cabeça, cintos de segurança retratáveis e lembretes de apertar o cinto de segurança como padrão.

Volvo 142
Fotos: Divulgação / Volvo Cars

A série 140 da Volvo contava com tração traseira. Inicialmente, utilizou o motor B18, de 1,8 litros e quatro cilindros, do Amazon, que produzia 75 hp – ou 96 hp com carburadores duplos. O modelo de 1969 tinha um motor B20, 2 litros, que produzia 82 hp e 100 hp, respectivamente. Desde o modelo de 1971, também havia versões com injeção de combustível eletrônica, gerando 120 hp.

Quando terminou a produção do 142, 144 e 145 no fim do verão de 1974, a linha de montagem havia produzido 1.251.371 automóveis, a primeira da empresa a romper esse patamar, e contribuiu para avançar a posição da Volvo como player internacional. O legado da série 140, entretanto, estendeu-se até 1993. O seu substituto, o Volvo 240, emprestou muito de seu chassi, sendo o modelo que a Volvo mais produziu em massa num período de 19 anos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s