Ford Edge quer partir para a disputa

José Oswaldo Costa* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 29/07/16)

de Campos do Jordão / SP

Vei30 - Ford Edge - Divulgação - Ford - Wanderley AffonsoA Ford apresentou o novo Edge. O modelo global, produzido no Canadá, é vendido no Brasil desde 2008. Desde então, de acordo com a montadora, foram vendidas cerca de 14 mil unidades no País. A linha 2016 do crossover, que passa a utilizar nova plataforma, estará nas concessionárias da marca a partir da próxima segunda-feira, dia 1º.

Antes dessa reestilização, a Ford considerava que o modelo disputava mercado no segmento de crossovers médios. Agora, a intenção é que ele passe a brigar com modelos mais requintados, dentro do nicho de crossovers premium de luxo. E, nesse caso, a concorrência se dará tanto por tamanho e preço semelhantes, quanto com modelos maiores e mais caros, mas que, segundo a Ford, entregam o mesmo nível de tecnologia e requinte do Edge.

Tanto que, no evento de lançamento, os modelos apontados como concorrentes do novo Edge foram: Volkswagen Touareg, BMW X5/X6, Audi Q5, Jeep Grande Cherokee, Volvo XC 60/XC 90 e Range Rover Evoque.

Vei31 - Ford Edge - Divulgação - Ford - Wanderley AffonsoPara entrar nesse clube mais exclusivo de veículos, o Edge passa a oferecer um bom conjunto de tecnologias semiautônomas, muita segurança, sofisticação e requinte. O segmento de crossovers/utilitários esportivos de maior porte e luxo, assim como o de compactos, está crescendo muito no Brasil e todas as montadoras permanecem muito atentas a ele.

Em 2010, este segmento tinha participação de 0,98% nas vendas da indústria automotiva. No ano passado, esse número aumentou para 1,8%. Pode parecer pouco, mas uma boa comparação é feita com o segmento de hatches médios, que possui 1,5% de participação nas vendas totais.

O Ford Edge 2017 continua utilizando motor 3.5 V6, capaz de render 284 cv e 339 Nm de torque, e transmissão automática de seis marchas. A novidade fica para a adoção dos paddle shifts (“borboletas”) atrás do volante para trocas manuais. A direção passa a ser elétrica com assistente dinâmico. O sistema, que só entra em funcionamento quando necessário, diminui o esterçamento (número de voltas) do volante em manobras. O crossover é o primeiro veículo da Ford a utilizá-lo.

Com a nova plataforma, as medidas do Edge foram alteradas. O veículo cresceu 100 mm no comprimento (4,78 metros), 30 mm no entre-eixos (2,85 metros) e 40 mm na altura (1,74 metro). O porta-malas também foi ampliado e passa a carregar 1.110 litros em bagagens. Detalhe importante é que essa capacidade é considerada do assoalho ao teto, de acordo com as normas norte-americanas. Infelizmente, a Ford não forneceu as medidas levando em consideração o limite da tampa retrátil do porta-malas.

Vei33 - Ford Edge - Divulgação - Ford - Wanderley AffonsoMais importante ainda é destacar que as pessoas devem evitar, ao máximo, carregar malas e objetos acima do limite do encosto dos bancos por uma questão de segurança. Em caso de colisão, esses objetos serão lançados para dentro da cabine, colocando em risco a integridade de todos os ocupantes.

Segurança – Falando em segurança, o Edge é muito bem equipado nesse quesito. No total, o modelo apresenta 8 airbags (frontais, laterais, do tipo cortina e para os joelhos do motorista e do passageiro do banco dianteiro).  Os cintos de segurança do banco traseiro são infláveis, aumentando a proteção dos ocupantes. Tecnologia muito importante na qual a Ford é pioneira.

O crossover conta, ainda, com controles eletrônicos de estabilidade, tração e anticapotamento. Uma novidade muito interessante é a câmera frontal com visão 180º instalada na grade do radiador, abaixo da logomarca oval da montadora. Ela auxilia, e muito, na saída de garagens e nos cruzamentos projetando as imagens laterais na tela do painel. O piloto automático é adaptativo e conta com alerta de colisão.

Também estão presentes o sistema de permanência na faixa de rolamento e o monitoramento de ponto cego. É importante destacar que o novo Edge recebeu 5 estrelas nos testes de impacto feitos pelo respeitado instituto norte-americano Insurance Institute for Highway Safety (IIHS). Também recebeu o selo Top Safety Pick, de melhor escolha em segurança, pelo mesmo IIHS.

O modelo apresenta sistema de alerta pós-acidente, que ativa a buzina, o pisca-alerta e destrava as portas. Além disso, vem com a chave de segurança MyKey que permite ao proprietário limitar a velocidade máxima. Muito útil quando o veículo é deixado em estacionamentos, serviço de valet e quando é emprestado aos filhos, por exemplo.

Visual – o Ford Edge 2017 passou por grandes mudanças no design. É nova a grade dianteira cromada trapezoidal (com duas barras horizontais), com desenho característico da linha de utilitários da marca. A grade inferior é em preto fosco. Nas extremidades dos para-choques estão alojadas as luzes diurnas em LED. A nova dianteira passa maior sensação de requinte, sofisticação, e abandona o estilo “abrutalhado” da geração anterior.

Na traseira, as lanternas com luzes, também em LED, avançam sobre a tampa do porta-malas. Um bonito detalhe chama atenção: elas são unidas por uma linha horizontal que atravessa toda a extensão da tampa. À noite o visual surpreende e causa uma bela impressão. Outro destaque são as ponteiras duplas de escapamento. Completam o design externo as belas rodas em liga-leve, diamantadas, de 20 polegadas e o aerofólio integrado.

Vei32 - Ford Edge - Divulgação - FordInterior – Para um veículo que pretende integrar qualquer segmento premium, o interior requintado é primordial. E ele está presente no novo crossover. Para começar, os bancos dianteiros e traseiros contam com aquecimento. Os dianteiros ainda trazem sistema de refrigeração. Os encostos dos bancos traseiros podem ser reclinados em até 15º.

No acabamento foram utilizados apliques cromados, de alumínio grafitado e o black piano. Partes do painel, das portas e os bancos em couro oferecem três opções de cores: preto, bege e um bonito tom de marrom (ocre). Com LEDs espalhados em diversos pontos da cabine, a luz ambiente pode ser personalizada em sete cores.

O sistema de conectividade apresenta tela sensível ao toque de 8 polegadas. Nele estão concentradas as operações do sistema de som, de ar-condicionado, GPS, telefonia, entre outros. O sistema de som premium da Sony traz 12 alto-falantes. No quadro de instrumentos, duas telas coloridas de 4,2 polegadas que permitem acessar e personalizar diversas informações do veículo.

O Edge, que será vendido apenas na versão topo de linha Titanium, apresenta somente dois opcionais: telas de DVD atrás dos encostos de cabeça dianteiros e o teto solar panorâmico, que ocupa 80% da extensão do teto. Cada um deles ao preço de R$5 mil.

Vei34 - Ford Edge - Divulgação - Ford

Fotos: Divulgação / Ford / Wanderley Affonso

Como qualquer veículo de luxo, alguns “mimos” estão presentes. Um deles é o estacionamento automático, de segunda geração, que manobra o Edge em vagas perpendiculares ou paralelas. Ele utiliza 12 sensores que monitoram 360º ao redor do modelo. O outro é o sistema inteligente de abertura e fechamento da tampa do porta-malas que é acionado quando se passa o pé sob o para-choque traseiro. Para isso, a pessoa deve estar com as chaves no bolso, por exemplo. Se a chave estiver no interior do veículo o sistema não funciona, obviamente. É muito útil quando se está com as duas mãos ocupadas.

Os bancos dianteiros possuem regulagem elétrica e memória para dez posições. A coluna de direção também apresenta ajuste elétrico, para altura e profundidade, e memória de três posições. O ar-condicionado é automático e digital, além de ter controle de temperatura de duas zonas. Há saída para os bancos traseiros.

O preço sugerido para o novo Ford Edge Titanium é R$229,90 mil. Acrescente R$10 mil a esse valor caso queira levar as telas de DVD e o teto panorâmico. Eles também podem ser adquiridos separadamente.

A Ford, como já se tornou praxe, não gosta de falar sobre a expectativa quanto ao volume de emplacamentos. Porém, os diretores presentes informaram que esperam que as vendas do crossover sejam equivalentes a um terço das do sedan Fusion.

De acordo com os números da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) o Fusion emplacou, de janeiro a junho, 1.814 unidades. Isso significa algo em torno de 302 unidades/mês. Ou seja, a montadora estará satisfeita caso o Edge alcance a média de 100 unidades emplacadas por mês. Serão 1,2 mil veículos vendidos por ano.

Dessa forma, a mira da Ford está apontada para a terceira posição no segmento de crossovers premium de luxo. Isso porque, de todos os modelos citados por ela como concorrentes, apenas o Range Rover Evoque (175 unidades) e o Volvo XC 60 (172 unidades) estão acima dessa média mensal. Os demais ficam bem abaixo das 100 unidades/mês emplacadas. Dos concorrentes apontados, o Jeep Cherokee é o próximo a aparecer nos números da Fenabrave, com 81 unidades vendidas por mês em 2016.

A tarefa não será fácil, pois exige a captação de novos, e muito exigentes, clientes. Mas com todas as qualidades apresentadas pelo modelo, é uma meta possível. Afinal, em 2015, ainda de acordo com os números apurados pela Fenabrave, foram vendidas 1.030 unidades da antiga geração do Edge, ou seja, algo em torno de 85 unidades/mês.

E o desempenho de emplacamentos foi prejudicado pelo anúncio, no segundo semestre de 2015, da chegada da nova geração ao Brasil neste ano. Traduzindo os números, a Ford espera que a nova geração do Edge alcance um aumento em torno de 17,5% nas vendas na comparação com a anterior.

*O colaborador viajou a convite da Ford do Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s