Nissan Kicks chega para dividir terreno

José Oswaldo Costa* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 22/07/16)

de São Paulo / SP

Nissan Kicks (56)Foram seis anos de trabalho para o desenvolvimento. De acordo com a Nissan, um modelo criado para atender às necessidades e expectativas, principalmente, do mercado brasileiro. Todo esse caminho percorrido para, agora, o crossover Kicks ser lançado oficialmente.

Estamos nos referindo ao evento de apresentação para a imprensa especializada como lançamento “oficial” porque o Kicks não é um veículo totalmente desconhecido do público brasileiro. Afinal, a montadora japonesa é uma das principais marcas patrocinadoras das Olimpíadas do Rio de Janeiro 2016.

Dessa forma, desde que o tour da tocha olímpica começou no país, sempre que vemos a imagem de alguma personalidade percorrendo ruas e avenidas, logo atrás dela está o Kicks, pelo fato de ser o veículo oficial do evento.

Mais uma vez, uma montadora se refere a um modelo como crossover, ou seja, um veículo que reúne a agilidade e eficiência de um hatch, o luxo e a segurança de um sedan e a versatilidade para trafegar em vários terrenos de um SUV. A Peugeot fez o mesmo com o 2008.

Nissan Kicks (57)Como dissemos no lançamento do belo projeto francês, esses veículos disputam mercado no segmento de utilitários esportivos compactos, não importa a nomenclatura que os executivos utilizem. Tanto que, por diversas vezes durante a apresentação do Kicks, os próprios gerentes e diretores da Nissan se referiram a ele dessa forma.

Sendo assim, nosso mercado acaba de receber um novo modelo para brigar em um segmento que cresce muito no Brasil e já conta com o Jeep Renegade, o Honda HR-V, o Ford EcoSport, o Renault Duster e o Peugeot 2008, citado anteriormente, entre outros.

Para que se tenha uma melhor idéia da força desse segmento, a Nissan apresentou um levantamento que mostra que, em 2010, os SUV’s compactos tinham 1,7% de participação no mercado nacional. Até maio deste ano, já representavam 9,8% das vendas totais.

Em 2010, quando eram vendidos mensalmente cerca de 277 mil carros, os utilitários compactos representavam 4,7 mil unidades desse total. Agora em 2016, que a média de vendas mensais caiu para 157 mil carros, o segmento é responsável pelo emplacamento de 15,6 mil unidades/mês.

Nissan Kicks (8)E a Nissan entende bem de utilitários. Em 2015, do total de suas vendas globais 27,6% foram de SUV/crossovers. Desde 2003, a montadora já comercializou 6,6 milhões de unidades desses modelos. Com 15 anos de Brasil, e 2 anos da instalação da planta de Resende (RJ), é a marca asiática líder de vendas no mercado europeu e a que mais cresce nos Estados Unidos.

Kicks – o mais novo veículo do mercado nacional foi desenvolvido como um modelo global. O Kicks também será vendido em outros mercados. O Brasil é o primeiro a recebê-lo e responsável pelo lançamento mundial, que ocorreu ao longo dessa semana.

Seus maiores destaques ficam por conta do design marcante, a tecnologia embarcada, sua praticidade e conforto, além do desempenho surpreendente do motor 1.6 16V, capaz de render até 114 cv (etanol e gasolina) e 15,5 kgfm de torque.

Pode parecer um motor pequeno, mas o Kicks traz o trunfo do baixo peso. Em comparação com o Jeep Renegade, por exemplo, ele é cerca de 300 kg mais leve. Basta pensar que essa diferença significa que o modelo do grupo FCA (Fiat Chrysler Automobiles) carrega três homens adultos, a mais, todos os dias.

Isso faz uma enorme diferença, tanto em relação ao desempenho quanto ao consumo de combustível. Aliás, de acordo com a Nissan, as medições mostraram que abastecido com etanol, o Kicks alcançou a média de 8,1 km/l na cidade e 9,6 km/l em estrada. Com gasolina, 11 km/l em trânsito urbano e 14 km/l em rodovias.

Nissan Kicks (41)O modelo utiliza câmbio CVT, a última geração do X-Tronic. Segundo a montadora, o modelo leva 12 segundos para sair da imobilidade e atingir os 100 km/h. A velocidade máxima é de 175 km/h.

A versão de lançamento é a topo de linha SL. Nesse primeiro momento, o Kicks será importado do México. Até o fim do ano fiscal da montadora (março de 2017), já será produzido na fábrica localizada no interior do estado do Rio de Janeiro e passará a contar com versões mais básicas.

Conforto e Segurança – O interior do modelo impressiona positivamente. É bastante confortável e utiliza materiais bem acabados, que passam sensação de maior luxo. Um bom exemplo disso é o couro sintético que também está presente na parte frontal do painel, além de forrar o apoio de braço das portas e os bancos. Esses últimos se destacam pela boa acomodação do corpo. O ar-condicionado é automático digital.

Nissan Kicks (46)Não passa despercebido o sistema multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas. A posição centralizada e inclinada para frente facilita a utilização tanto do motorista quanto do passageiro. Ela conta com seis alto-falantes, Bluetooth, GPS, entrada USB e uma boa novidade: câmera de 360º com detecção de objetos em movimento.

Ao acionar a marcha a ré, o condutor, além da tradicional visão do que ocorre atrás do veículo por meio da câmera, também tem a visão, em uma divisão da tela, do que ocorre ao redor do Kicks. Para isso foram instaladas quatro câmeras nele. A sensação é como estivéssemos olhando o veículo de cima.

Nissan Kicks (27)Não é uma novidade no mercado nacional. O Volkswagen Tiguan, por exemplo, conta com esse sistema. Mas, no seu segmento, de utilitários compactos, o Kicks é o único. Ganha-se de um lado, perde-se de outros. Tanto o Renegade quanto o HR-V oferecem o piloto automático (cruise control). O modelo da Nissan, não.

Em trechos de estrada com limite de velocidade e radar, como o que utilizamos para o primeiro test drive, teria sido muito útil. Seria fácil marcar os 120 km/h permitidos na bela e segura rodovia paulista na qual rodamos e esquecer o acelerador.

O painel de instrumentos é multifuncional e conta com tela TFT, também de 7 polegadas. Somente o velocímetro, posicionado à direita, é analógico. Todos os outros instrumentos são digitais. O sistema oferece 12 funcionalidades (conta-giros, visualização do GPS, visualização do sistema multimídia, indicações de consumo, entre outras). É a estreia mundial desse painel em veículos da marca.

Nissan Kicks (12)

Nissan Kicks (16)As dimensões do novo crossover/SUV compacto são as seguintes: comprimento – 4,30 metros; largura – 1,76 metro; altura – 1,59 metro e distância entre-eixos – 2,61 metros. O porta-malas tem capacidade para bons 432 litros e, o tanque de combustível, 41 litros. As rodas de liga leve são de 17 polegadas calçadas com pneus 205/55 R17.

Em termos de segurança, o Kicks conta com seis airbags (frontais, laterais e do tipo cortina), sistema Isofix para ancoragem de cadeirinhas de bebês, controle de tração e controle de estabilidade. Durante o evento, questionamos a ausência de freios a disco nas rodas traseiras. Eles também estão presentes tanto no modelo da Jeep quanto no da Honda.

A explicação foi de que testes revelaram que o baixo peso do veículo dispensava sua adoção. Porém, acreditamos que um modelo do preço do Kicks, com influência ou não do peso, deve apresentar freios a disco nas quatro rodas.

Falando em preço, o sugerido para a versão topo de linha (SL) apresentada é R$89,99 mil. O modelo estará nas concessionárias da marca a partir do dia 5 de agosto. Não por acaso, mesmo dia da abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro.

Nissan Kicks (51)

Fotos: Divulgação / Nissan / Marcos Camargo / Pedro Danthas

São cinco opções de cores para a carroceria: preto, prata, branco, marrom (que a Nissan preferiu chamar de cinza Rust) e cinza grafite. Ainda há a opcional carroceria cinza grafite com o teto pintado de laranja. Mas há um acréscimo de R$2,5 mil para isso.

No interior, três opções de cores para o couro sintético: preto, café e areia. O Kicks possui três anos de garantia e dois de assistência Nissan. A partir de janeiro de 2017, com o chamado “ano cheio”, a expectativa da Nissan é vender 30 mil unidades ano. Isso significa 2,5 mil unidades/mês.

Isso mostra que a Nissan, em um primeiro momento, quer ao menos a terceira colocação do segmento que, hoje, é disputada palmo a palmo pelo EcoSport e pelo Duster. HR-V e Renegade ainda estão um pouco acima.

O modelo da Honda é líder e obteve, nos seis primeiros meses do ano, média de 5.145 unidades/mês de vendas. Já o modelo da Jeep, cerca de 4.285 unidades/mês. Quando o portfólio do Kicks for ampliado, oferecendo mais opções, a Nissan poderá sonhar em brigar com esses líderes. Um produto com qualidades para isso, ela já possui.

 *o colaborador viajou a convite da Nissan

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s