Fiat Toro Freedom 4×4: sucesso explicado

Rodamos, entre MG e o RJ, mais de 2.000 quilômetros com a nova picape da montadora italiana

 José Oswaldo Costa* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 26/05/2016)

A Toro, picape média-compacta da Fiat, chegou para abalar o mercado. As vendas do modelo vêm crescendo e se aproximando da expectativa da montadora quando do lançamento dela, em fevereiro desse ano. Naquele momento, os diretores informaram que, a partir de 2017, podendo-se contabilizar o ano “cheio”, esperavam que fossem vendidas cerca de 50 mil unidades/ano, algo em torno de 4.165 unidades/mês.

GEDSC DIGITAL CAMERA

Certo é que a picape já ocupa a 4ª colocação no ranking dos comerciais leves, com 10.716 unidades vendidas até a última terça-feira. Isso não é pouco levando-se em conta que em janeiro, quando ainda não havia sido lançada oficialmente, contabilizou 31 emplacamentos e, em fevereiro, quando foi lançada, 1.113 comercializações. De fevereiro para cá as vendas aumentaram e, em abril, a Toro (3.954 unidades) se tornou a segunda picape mais vendida do Brasil, ficando atrás, somente, da Fiat Strada (5.427 unidades).

No acumulado do ano, de acordo com os números apurados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), o ranking dos comerciais leves está da seguinte forma – até o dia 24 de maio: 1º – Fiat Strada (22.192 unidades); 2º – VW Saveiro (14.969 unidades); 3º – Toyota Hilux (13.547 unidades); 4º – Fiat Toro (10.716 unidades); 5º – Chevrolet S10 (7.857 unidades); 6º – Renault Duster Oroch (4.895 unidades); 7º – VW Amarok (4.725 unidades); 8º – Ford Ranger (4.518 unidades); 9º – Fiat Fiorino (3.599 unidades) e  10º – Chevrolet Montana (3.582 unidades).

DC Auto recebeu para avaliações a versão Freedom 4×4 da Toro. A unidade que recebemos contava com motor 2.0 16V turbodiesel de 170 cv e câmbio manual de 6 marchas. Tivemos a excelente oportunidade de viajar com a picape por mais de 2 mil quilômetros, em viagens realizadas à Região dos Lagos (RJ) e ao interior de Minas Gerais. Depois de tanta quilometragem acumulada, percebemos perfeitamente o por quê do seu sucesso.

GEDSC DIGITAL CAMERAConsumo – Na viagem ao Rio de Janeiro, percorremos cerca de 1.180 quilômetros. Sempre sem aliviar o pé, mas dentro das velocidades máximas permitidas, alcançamos a média de 11,8 km/l (11,5 km/l na ida e 12,1 km/l na volta). Bons números para um veículo de 1.788 kg.

Já no trecho percorrido até a cidade de Itambacuri, no Vale do Mucuri (MG), com muitas subidas de serra e estradas que exigiam constantes reduções de marcha para efetuar ultrapassagens, o consumo também foi bom, praticamente o mesmo, com média de 11,6 km/l (11,5 km/l na ida e 11,7 km/l na volta). O trecho total percorrido foi de 1.060 quilômetros. Os números de consumo foram medidos através do computador de bordo da picape.

Um fato marcante da Fiat Toro é o conforto ao rodar. Não são poucas as pessoas que se incomodam com o sacolejar constante das picapes “tradicionais”, de maior tamanho. Realmente, dependendo do piso pelo qual se trafega, são extremamente desconfortáveis. Menos ruim para o motorista, pois conta com o volante para se apoiar. Mas, para os demais acompanhantes…

Isso não ocorre com a nova picape média-compacta da Fiat. O rodar, em qualquer tipo de irregularidade, é macio e confortável. O conjunto da suspensão assimila de forma surpreendente as imperfeições. Além disso, a Toro é bastante competente para contornar curvas, mesmo as mais fechadas.        Ajudam, nesse quesito, o controle de estabilidade e a tração integral. O botão seletor dessa última, localizado no painel, fica na posição de modo automático, ou seja, a tração passa a ser nas quatro rodas sempre que for preciso, mas permanece a maior parte do tempo em 4×2 (até para economia de combustível). Quando necessário, o condutor pode alterar para o 4×4 permanente ou para o 4×4 reduzido.

Na traseira a suspensão é do tipo Multi-link com rodas independentes, links transversais e longitudinais e barra estabilizadora. Já na dianteira, é do tipo MacPherson com rodas independentes, braços oscilantes em aço estampado fixados ao subchassis e barra estabilizadora.

GEDSC DIGITAL CAMERANão por acaso a montadora denominou a Toro como sendo uma Sport Utility Pick-up (SUP).  O motivo para essa designação, ainda segundo a Fiat, se deu pelo fato do modelo reunir o porte, a altura e a ergonomia de um utilitário esportivo (SUV), a robustez de um fora de estrada com o conforto de um automóvel e a praticidade e espaço de uma picape cabine dupla de quatro portas.

Certo é que, tirando a altura em relação ao solo (e a visualização da capota marítima pelo retrovisor interno), o condutor é levado sempre a crer que está dirigindo um grande sedan, tal a estabilidade e a maciez da Toro.

Conforto – Além da maciez ao rodar, ajuda na sensação de conforto o bem resolvido interior da nova picape.  Os bancos e a parte da porta destinada ao apoio dos braços, bem como o volante (multifuncional), utilizam couro sintético. O pomo da alavanca de mudanças de marcha é em alumínio.

O painel traz bom acabamento e não apresenta rebarbas. Porém, um importante detalhe deveria ter sido “copiado” do Jeep Renegade. Ao contrário do utilitário compacto, o material utilizado não é macio ao toque, é em plástico rígido. Pode-se alegar o uso fora de estrada que muito proprietários darão à picape e que essa rigidez, bem como o material escolhido, facilitam a limpeza interna. Mas, o Renegade também não foi feito para o uso off-road, podendo enfrentar as mesmas condições adversas (e sujas)?

GEDSC DIGITAL CAMERAO ar-condicionado digital de duas zonas fez bonito nas duas viagens, quando temperaturas na casa dos 36/37 graus eram a tônica. O sistema multimídia inclui telefonia (Bluetooth), rádio, entradas USB e auxiliar, câmera de ré (muito útil para manobras de estacionamento tendo em vista a altura da caçamba) e GPS. Utilizamos bastante esse último, sempre fornecendo informações precisas quanto ao trajeto. Com a presença do botão seletor da tração 4×4, aliado às entradas USB e auxiliar, no console central nota-se a falta de um local mais apropriado para se colocar, por exemplo, o telefone celular, o iPod e o controle do portão elétrico.

O banco traseiro acomoda perfeitamente três adultos que contam, todos eles, com encostos de cabeça e cintos de segurança de três pontos. Interessante que esses passageiros também têm a conveniência da presença de uma entrada USB e de uma tomada de 12V, localizadas entre os bancos dianteiros.

GEDSC DIGITAL CAMERA

Desempenho – O motor 2.0 16V turbodiesel de 170 cv casou muito bem com o câmbio manual de 6 marchas. O torque máximo é de 35,7 kgfm a 1.750 rpm. As trocas são macias e precisas. Como o torque máximo surge em baixos regimes de rotação, as trocas de marcha não são constantes. O condutor deve estar sempre atento para manter os giros acima dos 1.500 rpm, faixa na qual o turbo é acionado. De acordo com a Fiat, a velocidade máxima alcançada pela Toro 4×4 turbodiesel, manual, é de 188 km/h.

Dentre outros, a versão avaliada da Toro era equipada com 6 airbags (frontais, laterais e do tipo cortina), controles de estabilidade e tração, assistente de partidas em rampas, direção assistida, cintos de três pontos e encostos de cabeça para todos os ocupantes, sensor de estacionamento traseiro, câmera de ré, sistema multimídia, retrovisores com setas integradas, ar-condicionado digital de duas zonas, volante multifuncional com regulagens de altura e profundidade, trio elétrico (vidros, travas e retrovisores), teto solar panorâmico, faróis de neblina e rodas em liga leve de 17 polegadas.

Na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), o preço da Fiat Toro Freedom 4×4 (manual) é R$107,14 mil. Depois dessa “aventura” de mais de 2 mil quilômetros com a Toro percebemos que aqueles compradores que estão optando por ela estão fazendo um bom negócio.

A picape é extremamente confortável no rodar, algo raro no segmento, bem equipada, interior agradável, farto pacote de acessórios tecnológicos, desempenho mais do que suficiente e um design inspirado. Aliás, por onde passamos viramos “notícia”. Não havia pessoa, sem importar idade ou gênero, que não virasse o pescoço para acompanhar sua passagem. Em todos os postos de combustível nos quais paramos, elogios eram ouvidos sempre.

Certo é que, assim como aconteceu (e acontece) com o Jeep Renegade, um enorme sucesso, o Grupo FCA (Fiat Chrysler Automobiles), ao qual pertencem tanto a Fiat quanto a Jeep, acertou a mão em cheio com a bela Toro. Ela não chegou ao mercado para ser mais uma. No seu segmento, ela deve servir de exemplo para a concorrência.

Recall – Como qualquer novo projeto está sujeito, não importando a qual montadora pertença, a Toro apresentou um defeito quanto a fixação do estepe e o mesmo já está sendo sanado pela montadora. Publicamos, a seguir, o comunicado divulgado no último dia 19 de maio: “A FCA convoca os proprietários dos veículos Fiat Toro, nas versões Freedom 4×4, 2.0 diesel e Volcano 4×4, 2.0 diesel, ano 2015/2016 para, a partir de 23 de maio de 2016, agendarem seu comparecimento em uma das concessionárias Fiat para que seja providenciada, gratuitamente, a substituição do dispositivo de trava do suporte do pneu estepe. Foi detectado que o dispositivo de trava do suporte pode se destravar, provocando a queda do estepe, situação que poderá causar acidentes com consequentes danos físicos e materiais aos consumidores ou terceiros. Em caso de dúvidas, consulta dos números dos chassis envolvidos e/ou mais informações, basta entrar em contato através dos telefones 0800 707 1000, ou acessar www.fiat.com.br. Com esta iniciativa, a FCA visa assegurar a satisfação de seus clientes, garantindo a qualidade, a segurança e a confiabilidade dos veículos da marca Fiat”.

 *Colaborador

**Mais fotos da Fiat Toro no http://www.flickr.com/photos/detalhauto

 

Ficha Técnica:

✔ Velocidade máxima — 188 km/h

✔ 0 a 100 km/h — 9,5 segundos

✔ Potência — 170 cv

✔ Consumo Médio — 8,8 km/l (cidade) e 11,7 km/l (estrada)

✔ Distância entre eixos — 2,99 metros

✔ Comprimento — 4,92 metros

✔ Largura — 1,84 metro

✔ Altura — 1,69 metro

✔ Capacidade da caçamba — 820 litros

✔ Capacidade do tanque — 60 litros

✔ Pneus/ Rodas — 225/65 R17  / Liga leve 17 polegadas

GEDSC DIGITAL CAMERA
Fotos: José Oswaldo Costa
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s