Pré-Venda da VW Amarok V6 está esgotada

José Oswaldo Costa

Amarok V6A picape Amarok com motor V6 chega ao mercado nacional somente em fevereiro. Porém, a Volkswagen anunciou, no início de dezembro, que faria uma pré-venda do modelo.

Era um lote de 450 unidades comercializadas ao preço de R$187,71 mil. Hoje, a montadora informou que esse lote já foi esgotado.

“O sucesso da pré-venda é uma grande mostra de confiança de nossos clientes na marca e nas qualidades da Amarok V6 Highline. Estamos bastante satisfeitos com os resultados obtidos com a nova versão da picape”, disse o vice-presidente de vendas e marketing da Volkswagen do Brasil, Gustavo Schmidt.

Essa nova versão utiliza um motor 3.0 V6 TDI (turbodiesel), de 225 cv. Segundo a VW, é a picape mais potente do mercado nacional.

Amarok V6 5Ele conta com tecnologia de injeção direta common-rail de combustível e turbocompressor de geometria variável. Possui, ainda, acionamento dos comandos por correntes, que não requerem manutenção, e circuitos separados de arrefecimento para o cabeçote e o bloco, o que permite melhor gerenciamento da temperatura de funcionamento.

O torque é de 550 Nm (56,1 kgfm), entregue já a partir de apenas 1.500 rpm e mantendo-se pleno até as 3.000 rpm.

Em relação ao motor 2.0 biturbo que equipa as versões SE, Trendline e Highline (todas de cabine dupla), o ganho é de 25% em potência (45 cv a mais) e de 31% no torque (130 Nm, ou 13,3 kgfm), informou a montadora.

A velocidade máxima é de 190 km/h. E a picape acelera de 0 a 100 km/h em apenas 8 segundos, ainda de acordo com a VW.

Amarok V6 3O câmbio automático de 8 marchas é uma nova versão da transmissão utilizada, atualmente, nas demais versões da picape (equipadas com o motor 2.0 TDI) e foi desenvolvida para lidar com o maior torque produzido pelo motor V6 TDI.

Produzida na fábrica da Volkswagen em General Pacheco, na Argentina, a Amarok V6 apresenta sistema de tração permanente nas quatro rodas 4MOTION e é equipada com pneus 255/55 R19, com rodas de liga leve de 19 polegadas.

O modelo conta com faróis bixenônio com luzes de uso diurno em LED, sistema de auxílio ao estacionamento com câmera de ré e sistema de freios pós-colisão.

Além do sistema ABS off-road, que auxilia na frenagem sobre piso solto (como terra ou cascalho), a picape é equipada com freios a disco nas quatro rodas, recurso exclusivo no segmento.

Amarok V6 4Entre os recursos de auxílio ao motorista, destaque para o Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC),para o HDC (Hill Descent Control ou Controle Automático de Descida) e o HSA (Hill Start Assist ou Assistente para Partida em Subida).

Também traz o BAS (Sistema de Assistência à Frenagem), ASR (Controle de Tração) e EDS (Bloqueio Eletrônico do Diferencial), sendo todos itens de série.

Os 4 airbags (dianteiros e laterais de tórax e de cabeça para motorista e passageiro) também são de série.

Amarok V6 2

Fotos: Volkswagen / Divulgação

Nissan Kicks recebe 4 estrelas para a segurança de adultos e crianças

José Oswaldo Costa

85a29717400dc4O Nissan Kicks ganhou quatro estrelas em testes de segurança realizados, tanto para a proteção do ocupante adulto quanto para crianças. A informação foi dada pelo Latin NCAP.

O SUV compacto, que conta com dois airbags como equipamento padrão, apresentou desempenho instável na estrutura e na área dos pés no teste de batida frontal.

Essa instabilidade foi traduzida na fraca proteção para o peito do condutor, de acordo com o documento disponibilizado.

A proteção contra impactos laterais foi de adequada para boa, sendo aceitável em termos globais, obtendo as quatro estrelas para os ocupantes adultos.

O Kicks é equipado com controle eletrônico de estabilidade (ESC) que cumpre com os requisitos do instituto quanto a rendimento e disponibilidade.

As cadeirinhas para bebês, denominadas como Sistemas de Retenção Infantil (SRI), proporcionaram boa proteção aos ocupantes infantis, tanto em impacto frontal quanto no lateral. As duas cadeirinhas foram instaladas utilizando o sistema de ancoragem Isofix.

A falta de interruptor de desativação do airbag do passageiro e a sinalização do Isofix, que não cumpria com os requisitos do Latin NCAP, explicam as quatro estrelas para a proteção de crianças.

Comentários do Latin NCAP:

Impacto frontal: A proteção proporcionada à cabeça e ao pescoço do motorista e do passageiro foi boa. O peito do motorista obteve proteção fraca e o do acompanhante recebeu proteção adequada por parte dos sistemas de retenção.

Ambos os joelhos, tanto do motorista quanto do acompanhante, tiveram proteção marginal porque foram expostos a estruturas perigosas na área do painel. As tíbias do motorista ganharam proteção adequada e, as do passageiro, boa.

A área dos pés foi considerada instável, bem como a estrutura.

Impacto lateral: No impacto lateral a cabeça, o abdome e a pélvis apresentaram boa proteção, enquanto o peito obtinha uma proteção adequada.

O desempenho do ESC foi testado, cumprindo com os requisitos regulamentares do Latin NCAP.

O modelo oferece sistema de lembrete de cinto de segurança nas duas posições da frente. Tudo isso explica as quatro estrelas ganhas para a segurança do adulto.

OD4717NKI1_oncrash_Cam2

Fotos: Latin NCAP / Divulgação

 

FCA informa recall do Jeep Cherokee 2012, mas solução ainda não foi definida

Da Redação

A FCA (Fiat Chrysler Automóveis Brasil) está informando aos proprietários dos veículos Jeep Cherokee, ano/modelo 2012, sobre a possibilidade de falha no funcionamento do módulo ORC, responsável pelo controle dos sistemas de airbag, cinto de segurança e encosto de cabeça ativo.

Uma eventual falha de funcionamento do módulo ORC poderá acarretar o acendimento da luz espia no painel de instrumentos do veículo, assim como inabilitar o funcionamento dos encostos de cabeça ativos em caso de colisão traseira, possibilitando a ocorrência de danos físicos ao motorista e ao passageiro do banco dianteiro.

Tão logo a solução definitiva esteja disponível, os proprietários de todos os veículos envolvidos na campanha serão convocados para a segunda fase do chamamento, a fim de agendar, gratuitamente, o reparo em uma das concessionárias da rede Jeep.

Estão envolvidos nesta convocação 2.329 unidades do Jeep Cherokee, com os números de chassis (não sequenciais) CW107403 a CW193703.

Para consultar os números dos chassis envolvidos, ou obter mais informações, a montadora está disponibilizando o telefone 0800 703 7150 e o site www.jeep.com.br.

Fiat convoca proprietários do Argo

Da Redação

Fiat ArgoA FCA (Fiat Chrysler Automóveis Brasil) está convocando os proprietários do hatch Argo, versões Drive, Precision e HGT, ano/modelo 2017/2018, para a partir de hoje (11 de dezembro) agendarem seu comparecimento a uma das concessionárias Fiat para que sejam providenciados, gratuitamente, a verificação e o reparo do chicote elétrico do volante de direção e, se necessária, a substituição do volante de direção completo.

Foi identificada a possibilidade do rompimento do chicote elétrico do volante de direção, devido a um possível esmagamento provocado pela cobertura do airbag, podendo provocar a sua desativação e, em casos extremos, o acionamento involuntário do airbag do motorista, com consequentes danos físicos e materiais ao condutor, aos passageiros e a terceiros.

No total, são 21.778 veículos envolvidos nesta convocação, com números de chassis (não sequenciais) de 9BD358A42JYH10115 a 9BD358A9WJYH10215.

O tempo estimado para o reparo é de uma hora.

Para consultar os números dos chassis envolvidos, e outras informações, a montadora oferece o telefone 0800 707 1000 ou consultas através do site www.fiat.com.br.

Fiat Argo 2

Fotos: Marcos Camargo / FCA / Divulgação

Can-Am apresenta o Maverick Trail DPS, UTV voltado para trilhas e expedições

Da Redação     (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 08/12/2017)

Can-Am MaverickTrail 3 Créd. Rodrigo Emanuel PhilippsA Can-Am acaba de lançar o UTV (Utility Task Vehicle ou veículo utilitário multitarefas) Maverick Trail DPS. O novo modelo Side-By-Side é ideal para trilhas e expedições.

A máquina já pode ser encontrada nas mais de 60 concessionárias BRP espalhadas pelo Brasil, com preço sugerido a partir de R$ 53,99 mil.

Ele utiliza o motor Rotax V-Twin 800 de 51 cv, bastante robusto. Com 127 cm de largura e 230 cm de distância entre eixos, o UTV foi construído ao redor do piloto, o que permite enfrentar qualquer obstáculo com estabilidade.

Can-Am MaverickTrail 1 Créd. Rodrigo Emanuel PhilippsA baixa posição de pilotagem transmite mais confiança nas trilhas, assim como a suspensão eficiente. O sistema apresenta braços em duplo A e curso de 25,4 cm na frente e a suspensão traseira TTA-T (26,7 cm de curso).

Com o sistema True 4-Mode, é possível optar, por meio de um botão, entre o uso das trações 2X4 e 4X4, ambas com o diferencial traseiro aberto ou blocado.

Outro ponto de destaque é a Direção Dinâmica Assistida (DPS), que oferece assistência variável na condução do veículo. O recurso auxilia o piloto a seguir a linha ideal em trilhas apertadas, trechos rochosos e locais de velocidades mais altas.

O Maverick Trail DPS é equipado com a transmissão CVT QRS-T. O UTV oferece capacidade de armazenamento na cabine de 20,2 litros, a maior da categoria, de acordo com a fabricante.

Ele possui capacidade de carga de 136 quilos e oito acessíveis pontos de engate do sistema LinQ na caçamba. O engate de duas polegadas é indicado para rebocar até 680 quilos.

Can-Am MaverickTrail 4 Créd. Rodrigo Emanuel Philipps

Fotos: Rodrigo Emanuel Philipps / Can-Am / Divulgação

Nova geração do Jeep Wrangler chega aos EUA

Da Redação      (Publicado no Diário do Comércio – 08/12/2017)

Modelo será lançado no Brasil em 2018

All-new 2018 Jeep® Wrangler Rubicon, 1944 Jeep Willys-OverlandO novo Jeep Wrangler 2018 foi apresentado nos Estados Unidos. O veículo, com grande capacidade off-road, chega ao Brasil no segundo semestre do ano que vem. Segundo a Jeep, o novo Wrangler traz motorizações avançadas e eficientes, comportamento dinâmico superior no asfalto e uma série de recursos inovadores de segurança e tecnologia.

“A Jeep sempre representou a excelência em capacidade off-road e na condução ao ar livre. Nosso novo Wrangler 2018 mantém esse legado importante e o leva ao futuro”, disse Mike Manley, chefe global da Jeep.

“O novo Wrangler é instantaneamente reconhecível como um Jeep, mantendo-se fiel ao original, mas é melhor em todos os sentidos – oferecendo capacidade ainda mais robusta, mais conforto de rodagem, mais eficiência de combustível graças a várias opções avançadas de powertrain, mais conforto interno, mais segurança e mais tecnologia”, finalizou.

Produzido na fábrica de Toledo, Ohio (EUA), o Jeep Wrangler de duas portas estará disponível a partir de janeiro na América do Norte, em três versões diferentes: Sport, Sport S e Rubicon. Com a carroceria de quatro portas, a versão recebe o nome de Sahara.

O novo Wrangler oferece dois sistemas 4×4 avançados e, pela primeira vez na sua história, uma caixa de transferência de duas velocidades com tração integral permanente e uma relação reduzida de 2,72:1 disponível para a versão Sahara.

All-new 2018 Jeep® Wrangler SaharaChamada de Selec-Trac, essa nova caixa de transferência é intuitiva e permite que o condutor o configure e esqueça, enquanto a força é constantemente entregue às rodas dianteiras e traseiras.

No sistema Command-Trac 4×4, a caixa de reduzida tem relação de 2,72:1, e eixos dianteiros e traseiros Dana de última geração e relação no eixo traseiro de 3,45:1.

No Wrangler Rubicon, o sistema Rock-Trac 4×4 tem eixos Dana 44 de última geração e alto desempenho com relação reduzida de 4:1. A relação 4,1 do eixo dianteiro e traseiro é padrão, assim como os diferenciais de bloqueio eletrônico Tru-Lok.

As versões do Wrangler Rubicon oferecem evoluções em articulação e curso de suspensão em comparação à geração anterior com a ajuda de uma barra estabilizadora eletronicamente desconectável.

Ambos os sistemas Command-Trac e Rock-Trac oferecem gerenciamento de torque em tempo integral, ideal para condições de baixa tração. É possível ainda equipar o Wrangler com o Trac-Lok, um diferencial traseiro de deslizamento limitado que oferece torque e aderência extras durante situações escorregadias e de baixa tração, como a condução sobre areia, cascalho, grama molhada, lama fina, neve ou gelo.

All-new 2018 Jeep® Wrangler RubiconAlguns números do modelo: ângulos de 44° (entrada), 37° (saída) e 27,8° (rampa), distância do solo de 27,7 cm, 76 cm de capacidade de submersão, pneus de 33 polegadas nas versões Rubicon e capacidade de rebocar 1.587 kg.

Além disso, há placas de proteção sob a carroceria e ganchos de reboque dianteiros e traseiros.

Design – O novo Wrangler apresenta linha de cintura mais baixa e janelas maiores para melhor visibilidade externa, especialmente nas trilhas.

A equipe de design do Jeep deu à grade de sete fendas um olhar atualizado que agora mostra as duas fendas nas pontas se cruzando com os faróis, homenageando os Jeep CJ (como o CJ-5 feito no Brasil entre as décadas de 1950 e 1980).

A parte superior da grade foi suavemente inclinada para melhorar a aerodinâmica.

Nas versões Sahara e Rubicon, os faróis de LED e as luzes de neblina disponíveis oferecem luz. Estes modelos apresentam luzes diurnas e as setas de direção em LED estão posicionados na frente dos para-lamas trapezoidais. Atrás, as tradicionais lanternas quadradas podem ser de LED.

Vei4 - FCA US LLC - DivulgaçãoMotores e transmissões – O motor EcoDiesel V6 de 3 litros e o novo quatro-cilindros 2.0 com turbocompressor juntam-se à linha Wrangler, que mantém o Pentastar V6 de 3.6 litros, que teve melhorias significativas para 2018.

O novo motor turbo de 2 litros, 4 cilindros em linha e injeção direta oferece 270 cv de potência e 40 kgfm de torque. Juntamente com uma transmissão automática de 8 velocidades, seu torque supera o do motor V6 também oferecido no Wrangler.

O motor Pentastar V6 de 3.6 litros da FCA oferece 285 cavalos de potência e 36 kgfm de torque. Ele é projetado para fornecer uma ampla gama de torque com uma ênfase especial no torque a baixas rotações, aspecto crucial na direção extrema do off-road.

Uma transmissão manual de seis velocidades totalmente nova é padrão em todos os modelos Wrangler equipados com o Pentastar V6 de 3.6 litros, tendo um câmbio automático de oito marchas como opcional.

O motor EcoDiesel de 3 litros só estará disponível a partir de 2019 nas versões de 4 portas do Wrangler, com 260 cv de potência e 61 kgfm de torque, bem como sistema Stop-Start (ESS) de série.

Uma nova transmissão automática de 8 marchas também vem como padrão, retralhada para lidar com o aumento de torque. O EcoDiesel V6 implementará a nova tecnologia de turbocompressor com rolamento de baixa fricção projetado para funcionar em baixas velocidades e em situações de transição onde a resposta imediata é necessária.

All-new 2018 Jeep® Wrangler Sahara

Fotos: FCA US LLC / Divulgação

Amortecedor recondicionado coloca a segurança em risco

Da Redação

Suspensao

Imagem: Monroe / Divulgação

Os amortecedores são itens essenciais à segurança do condutor e passageiros de veículos. Por isso, é importante ter atenção com a procedência do componente.

As peças recondicionadas, por exemplo, possuem preço atrativo no mercado, mas devem ser evitadas, uma vez que não possuem os padrões de qualidade e especificações exigidos pelas fabricantes de veículos.

A recomendação é da Monroe, marca líder mundial na fabricação e desenvolvimento de amortecedores.

“As peças recondicionadas passam apenas por uma ‘maquiagem‘ para que fiquem com aparência de novas. Na maioria das vezes, os componentes são somente lavados e pintados e voltam ao mercado com o mesmo problema de desgaste que fez com que ele fosse substituído anteriormente”, explicou Juliano Caretta, coordenador de Treinamento Técnico da Monroe.

Outra prática comum é, conforme o especialista, substituir o óleo do amortecedor por um fluído diferente do especificado. “Isso compromete a performance e o desempenho do componente, podendo causar sérios acidentes”, alertou.

A indicação do coordenador é que o consumidor opte sempre por peças homologadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e que possuam certificado de garantia e nota fiscal.

“O amortecedor é, em primeiro lugar, um dos principais itens de segurança do veículo. Somente a peça nova pode assegurar os padrões de qualidade exigidos pelas montadoras”, advertiu Caretta.

Função – O amortecedor é o componente responsável por manter o contato permanente dos pneus com o solo, garantindo a estabilidade e a boa dirigibilidade ao veículo.

A Monroe indica que a peça seja revisada, preventivamente, a cada 10 mil quilômetros aproximadamente, conforme a orientação da montadora ou, ainda, quando o motorista perceber problemas na suspensão, tais como: ruídos, solavancos, balanços excessivos e problemas de dirigibilidade.